‘Façam o preventivo’, alerta presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer

Câncer de mama é a doença que mais mata mulheres no Brasil. De acordo com o Inca, só em 2019, foram registradas 18.068 mortes em decorrência desse tipo de câncer

O câncer de mama é um dos mais comuns no Brasil, ficando atrás apenas do câncer de pele. A doença é consequência de uma multiplicação de células anormais na mama, que formam um tumor capaz de invadir outros órgãos. É também a doença que mais mata mulheres no Brasil.

Autoexame de câncer de mama faz parte do sistema regular de prevenção – Foto: DivulgaçãoAutoexame de câncer de mama faz parte do sistema regular de prevenção – Foto: Divulgação

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), só em 2019, foram registradas 18.068 mortes. A estimativa é que neste ano sejam diagnosticados mais de 66 mil novos casos da doença.

Apesar da maior incidência em mulheres, esse câncer não é restrito apenas a elas. Homens também podem desenvolver a doença. Porém, representam somente 1% dos casos. Os riscos para o surgimento de um tumor na mama aumentam com a idade, normalmente após os 50 anos. Além de fatores genéticos e hormonais, a doença também está atrelada a comportamentos não saudáveis, como o sedentarismo, consumo de bebida alcoólica e o tabagismo.

Além da prática de exercícios físicos, a amamentação também é uma forma de proteção e deve ser estimulada por um período maior sempre que possível. É importante estar atenta aos sinais e sintomas do câncer de mama. O diagnóstico precoce reduz as chances de agravamento da doença.

O autoexame feito através do toque é essencial e pode ser realizado com frequência, inclusive por jovens. Já a mamografia, segundo o Ministério da Saúde, é recomendada a cada dois anos para mulheres com idades entre 50 e 69 anos.

‘Temos que chamar atenção para a prevenção do câncer de mama’

Para falar sobre a campanha Outubro Rosa, que inicia nesta sexta-feira (1º), o SC no Ar recebeu a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer da Grande Florianópolis, Zita Meireles. “É uma época em que todos nós temos que chamar a atenção de nossas mulheres para a prevenção do câncer de mama”, disse a convidada.

Zita Meireles, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Florianópolis – Foto: Leo Munhoz/NDZita Meireles, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Florianópolis – Foto: Leo Munhoz/ND

Zita também destacou as dificuldades do período da pandemia, que fez com que muitas mulheres deixassem a prevenção contra o câncer de mama de lado. “Tudo estava fechado, inclusive a rede, porque não podíamos abrir. Hoje em dia, nós estamos vendo o quanto foi agredida a situação do câncer e da prevenção para a mama, que tem que ser feita anualmente, principalmente pelas mulheres que já estavam apresentando algum probleminha e ficaram fora um ano e meio”, lembrou ela.

A presidente da rede também fez um apelo para as mulheres: “Por favor, todas as mulheres, venham, façam o seu preventivo, para que nós possamos ver o que está acontecendo e que vocês tenham uma saúde maravilhosa. É o que todos nós queremos.”

Confira a entrevista completa com Zita e mais informações sobre o câncer de mama no vídeo!

+

SC no ar – Entrevistas

Loading...