SC permanece com 15 regiões no nível gravíssimo da Covid-19

Somente a Grande Florianópolis segue no nível grave pela segunda semana consecutiva; demais regiões continuam no vermelho

Manteve em 15 o número de regiões no nível gravíssimo na matriz de risco que avalia a situação da Covid-19 em Santa Catarina.  A nova atualização foi divulgada na manhã deste sábado (8) pela SES (Secretaria de Estado da Saúde). 

A matriz aponta que apenas a região da Grande Florianópolis se manteve no nível grave (laranja). Por mais uma semana, não há cidades no nível alto (amarelo) e moderado (azul).

Atualização foi divulgada neste sábado (8) – Foto: Reprodução/SESAtualização foi divulgada neste sábado (8) – Foto: Reprodução/SES

Em comparação com a mapa divulgado no último sábado (1º), não houve mudança na classificação de risco nas regiões. Assim como na semana passada, 15 das 16 regiões aparecem no nível gravíssimo de contágio.

De acordo com a SES, a região da Grande Florianópolis não foi classificada em nível gravíssimo em nenhum dos quatro índices avaliados pela matriz: evento sentinela (elevação do número de óbitos); transmissibilidade (variação do número de casos); monitoramento (número de exames RT-PCR para Covid-19 processados pelo Lacen) e capacidade de atenção (ocupação dos leitos de UTI).

Por outro lado, o Alto Uruguai Catarinense, recebeu nota máxima em todos os índices analisados pela matriz. O novo mapa será divulgado no dia 15 de maio.

Casos confirmados

De acordo com o último boletim, divulgado nesta sexta-feira (7), Santa Catarina registrou, desde o início da pandemia, 906.697 casos da Covid-19, sendo que 872.569 pacientes já estão recuperados e 20.136 continuam em acompanhamento. Além disso, mais 61 mortes foram confirmadas, levando a um total de 13.992 vítimas desde o início da pandemia.

Casos de infecção pelo novo coronavírus já foram confirmados em todos os 295 municípios de Santa Catarina. No total, 292 municípios registraram mortes. As maiores altas foram registradas em Joinville, com 207 novos casos, Criciúma, com 180 novos casos, seguido de Florianópolis, com 159 casos, Jaraguá do Sul, 153, Itapema, com 130 e Chapecó, com 121 casos.

Quatro itens são levados em consideração na avaliação da matriz:

  • Evento sentinela: mede a mortalidade da Covid-19. Nas regiões em alerta, o índice aponta que a pandemia continua em expansão;
  • Transmissibilidade: variação no número de confirmação e casos ativos. Regiões em alerta apresentam alta no número de casos;
  • Monitoramento: casos investigados e inquérito de síndrome gripal na comunidade;
  • Capacidade de atenção: mede a ocupação dos leitos de UTI.

Veja o que vale em SC:

No dia 30 de abril o Governo de Santa Catarina publicou um novo decreto com regras de funcionamento mais flexíveis para casas noturnas, que vale até o dia 17 de maio. Além disso, segue suspenso o público em competições esportivas, pública ou privada, até 30 de junho deste ano.

Confira as regras:

  • Casas noturnas, boates, casas de shows, pubs e afins:

    • Nível gravíssimo e grave: Os estabelecimentos poderão, excepcionalmente, utilizar o espaço de seu salão para a realização de eventos sociais, com limite de ocupação de até 100 pessoas no nível gravíssimo e de até 150 pessoas no nível grave, e das 6h às 23h, sempre obedecendo o distanciamento estabelecido na Portaria nº 455, de 30 de abril de 2021.
    • Nível de risco alto: Permissão para funcionamento das 6h à 0h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.024, de 30 de dezembro de 2020;
    • Nível de risco potencial moderado: permissão de funcionamento conforme horário fixado no alvará de funcionamento do estabelecimento, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.024, de 2020.
    • Entre as medidas estabelecidas na Portaria nº 1.024 prevê medidas como, por exemplo, aferição de temperatura das pessoas, uso de máscara por clientes e trabalhadores e mesas dispostas a 1,5 metro de distância entre si, ficando proibida a dança
  • Eventos sociais (casamentos, aniversários, jantares, confraternizações, bodas, formaturas, batizados, festas infantis e afins): permissão para funcionamento das 6h às 23h nos níveis gravíssimo e grave.
  • Congressos, palestras, seminários e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, e afins: permissão para funcionamento das 6h às 23h nos níveis gravíssimo e grave.
  • Parques, praças, jardins botânicos, balneários, faixas de areia de praias: proibição de concentração e aglomeração de pessoas.
  • Proibição de fornecimento de bebidas alcoólicas com consumo no próprio estabelecimento, nos níveis gravíssimo e grave, das 23h às 6h e, no nível alto, da meia-noite às 6h.
  • Transporte coletivo: As regras valem para nível municipal, intermunicipal e interestadual: Nível gravíssimo apenas 50% da capacidade máxima, grave 70% e alto e moderado ocupação total do veículo, mas mantidas todas as linhas e itinerários
  • Serviço de alimentação (cafeterias, casas de chás, lanchonetes, restaurantes, bares e afins): Permitido o funcionamento das 6h às 23h no nível gravíssimo e grave. Já no nível alto é permitido das 6h à 00h. Já no nível moderado é liberado conforme estabelecido no alvará de funcionamento, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 453, de 30 de abril de 2021 – encontra-se na página 75 do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (30).
  • Academias: 6h às 22h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 713, de 18 de setembro de 2020.
  • Piscinas de uso coletivo, clubes sociais e esportivos: das 6h às 22, mas respeitando a ocupação de 50%.
  • Parques temáticos e zoológicos: 6h Às 22h, mas com 50% e observados os regramentos da portaria 391, de 5 de junho de 2020.
  • Cinemas, teatros e circos: 6h às 22h, mas respeitando  as regras da portaria nº 1.010 de 28 de dezembro de 2020.
  • Museus: 6h às 22h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.001, de 23 de dezembro de 2020.
  • Igrejas e templos religiosos: 6h às 22h, regramentos definidos na Portaria SES nº 1.002, de 23 de dezembro de 2020, por exemplo, a capacidade máxima de público conforme a cada nível de risco.
  • Áreas de uso coletivo de hotéis e similares:  6h às 22h e ocupação simultânea de 50%, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.023, de 30 de dezembro de 2020.
  • Eventos públicos na modalidade drive-in:  6h às 22h, 50% de ocupação, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 90, de 29 de janeiro de 2021.
  • Shopping, centros comerciais e comércio de rua em geral:  6h às 22h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 84, de 29 de janeiro de 2021.
  • Feiras, exposições e leilões: 6h às 22h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 999, de 23 de dezembro de 2020, mediante análise técnica e aprovação da Secretaria de Estado da Saúde.
  • Parques aquáticos e complexos de águas termais:  6h às 22h, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 998, de 23 de dezembro de 2020.
  • Demais atividades e serviços privados não essenciais:  6h às 22h e com limite de ocupação simultânea de 50%.
  • Proibição de atendimento ao público de qualquer estabelecimento, nos níveis gravíssimo e grave, das 23h às 6h e, no nível alto, da meia-noite às 6h, com exceção de:
    a) farmácias, hospitais e clínicas médicas,
    b) serviços funerários,
    c) serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro,
    d) assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade.
    e) estabelecimentos que realizem atendimento exclusivamente na modalidade de tele-entrega,
    f) postos de combustíveis,
    g) estabelecimentos dedicados à alimentação ou à hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, situados em estradas e rodovias, e
    h) hotéis e similares.
  • Embarcações de esporte e recreio: Limitação de ocupação de 50% da capacidade, sendo proibido amadrinhar as embarcações, em todos os níveis de risco.
  • Agências bancárias, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 86, de 29 de janeiro de 2021.
  • Supermercados: Limite de acesso de até 2  pessoas por família e ocupação simultânea de até 50% da capacidade do estabelecimento, das 6h às 23h, em todos os níveis de risco.
+

Saúde

Loading...