SC recebe neste domingo mais 85 mil doses da vacina contra Covid-19

Novo lote vai contemplar idosos com 90 anos ou mais, além de dar continuidade a vacinação dos trabalhadores de saúde

Chegará neste domingo (7), em Santa Catarina, um novo lote com 85 mil doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. A informação foi repassada pela SES (Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina).

Novas doses chegam a Florianópolis neste domingo (7) por volta das 14h30 no aeroporto Hercílio Luz – Foto: Julio Cavalheiro/Governo de SCNovas doses chegam a Florianópolis neste domingo (7) por volta das 14h30 no aeroporto Hercílio Luz – Foto: Julio Cavalheiro/Governo de SC

A quarta remessa de doses tem previsão de chegada às 14h30 no aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis. Do aeroporto, as doses serão encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio da Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), em São José. Lá, é feita a conferência e a recepção, além de organizar a logística de distribuição para as 17 unidades descentralizadas de Vigilância Epidemiológica das Regionais de Saúde.

Na segunda-feira (8), a distribuição deste novo lote de vacina será para as regionais de saúde da Grande Florianópolis, Tubarão, Itajaí, Blumenau, Joinville, Jaraguá do Sul, Videira, Joaçaba, Concórdia, Xanxerê, Chapecó, Criciúma, Araranguá, Mafra, Lages, Rio do Sul e São Miguel do Oeste. As doses chegarão aos 295 municípios catarinenses com o apoio das forças de segurança.

Neste primeiro momento, apenas metade das doses recebidas (42.500), equivalente a aplicação da primeira dose, serão encaminhadas para dar início a uma nova fase da campanha de vacinação. Desta vez, contemplando os idosos com 90 anos ou mais, além de dar continuidade a vacinação dos trabalhadores de saúde. A outra metade ficará armazenada para garantir a aplicação da segunda dose nos grupos prioritários.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, esclarece que os trabalhadores da saúde e demais grupos continuarão sendo vacinados mesmo com o início de uma nova etapa, mas a prioridade nesse momento é a vacinação imediata de todos os idosos acima de 90 anos de idade.

“A recomendação é que os municípios iniciem a vacinação dos idosos imediatamente após o recebimento dessas doses e que seja dada prioridade a este público. Nosso objetivo é conseguir vacinar toda essa população, que é altamente vulnerável e que precisa ser protegida, até o fim da próxima semana.”, ressaltou o secretário.

Os municípios que ainda não finalizaram a primeira etapa de vacinação vão continuar vacinando, dentro do limite de doses que o estado recebeu até o momento, até que todos os trabalhadores de saúde sejam contemplados.

Doses recebidas

Santa Catarina já havia recebido um total de 213.140 doses de vacinas contra o novo coronavírus. Agora, com mais essa remessa, chegará a 298.140 doses recebidas. As doses foram encaminhadas pelo MS (Ministério da Saúde) ao estado nesta ordem:

18.01.2021 – 144.040 doses Butantan/Coronavac – Distribuído: (D1: 19/01 e D2: 02/02)
24.01.2021 – 47.500 doses Oxford/Astrazeneca – Distribuída (D1: 25/01)
25.01.2021 – 21.600 doses Butantan/Coronavac – Distribuída – metade: 10.800 (D1: 02/02)
07.02.2021 – 85.000 doses Butantan/Coronavac –  Distribuída – metade: 42.500 (D1: 08/02)

(D1: Primeira Dose e D2: Segunda Dose)

Nova etapa compreende idosos com 90 anos ou mais

De acordo com levantamento realizado pela SES, a partir dos dados informados pelos municípios, a população-alvo da próxima etapa de vacinação contra a Covid-19, idosos com 90 anos ou mais, é de 34.496 pessoas.

Nesta fase da campanha de vacinação, o planejamento é que seja feita de forma escalonada, ou seja, ela será iniciada por aqueles com 90 anos ou mais, a partir do recebimento desta nova remessa de doses. Depois será a vez do público com idade entre 85 e 89 anos, a partir do recebimento da 5ª remessa; 80 e 84 anos, na 6ª remessa e, por fim, 75 a 79, com o recebimento da 7ª remessa. Os demais idosos, de 60 a 74 anos de idade, também serão vacinados, conforme o recebimento de novas doses.

Para contemplar esse novo grupo prioritário, os municípios devem definir estratégias de acordo com a sua capacidade de atendimento. O cadastramento prévio, por exemplo, realizado por alguns municípios, é uma dessas estratégias.

As definições de grupos prioritários e a ordem de vacinação foram estabelecidas pelo Governo Federal, segundo os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença.

Importância do registro de doses

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, seguindo recomendação do Ministério da Saúde (MS), orientou a todos os 295 municípios catarinenses que realizem, diariamente, o registro de doses aplicadas no sistema de informação disponibilizado pelo órgão federal. Somente desta forma é possível contabilizar de forma clara, precisa e dar transparência ao processo de vacinação em todo o estado. Em caso de registro off-line, a orientação é de que o prazo para que os municípios abasteçam o sistema não ultrapasse 48 horas após a aplicação das doses.

O Superintendente de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, Eduardo Macário, ressalta a importância da precisão desse registro. “Se os municípios aplicam as doses e não registram no sistema não temos como contabilizar, de forma transparente, o número de doses aplicadas. Por esse motivo, mais uma vez, precisamos unir esforços e trabalhar em conjunto para obtermos resultados cada vez mais satisfatórios”, finaliza o superintendente.

89 mil pessoas receberam a vacina

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulgou na última sexta (5), novo balanço parcial de vacinação contra a Covid-19. No total, o estado aplicou, desde o início da campanha, no dia 18 de janeiro, um total de 89.162 doses da vacina nos seguintes grupos prioritários: trabalhadores da saúde (78.056), pessoas idosas institucionalizadas (6.992), pessoas com deficiência institucionalizadas (286) e  população indígena (3.828).

+

Saúde