SC recomenda 2ª dose de reforço contra Covid-19 a idosos com 60 anos ou mais

Orientação é que a vacina seja aplicada da maior faixa etária para a menor, ou seja, começando pelos idosos com 69 anos, 68 anos e, assim, sucessivamente

A SES (Secretaria de Saúde de Santa Catarina), seguindo orientação do Ministério da Saúde, passou a recomendar a partir desta quinta-feira (19), a aplicação da segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 para idosos com 60 anos ou mais.

SC recomenda 2ª dose de reforço contra Covid-19 a idosos com 60 anos ou mais – Foto: Prefeitura de Camboriú/Divulgação/NDSC recomenda 2ª dose de reforço contra Covid-19 a idosos com 60 anos ou mais – Foto: Prefeitura de Camboriú/Divulgação/ND

Os municípios catarinenses foram orientados pela Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) que se tiverem doses disponíveis em estoque podem iniciar a aplicação da segunda dose de reforço nesse público.

A recomendação é que a vacinação seja iniciada da maior faixa etária para a menor, ou seja, começando pelos idosos com 69 anos, 68 anos e, assim, sucessivamente.

É importante que a população verifique com a Secretaria Municipal de Saúde a estratégia de vacinação adotada.

Antes disso, a segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 estava indicada apenas para idosos com 70 anos ou mais e idosos com 60 anos ou mais que vivem em instituições permanentes.

A segunda dose de reforço deve ser aplicada com um intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço. As vacinas utilizadas para a aplicação desta dose podem ser a Pfizer, a AstraZeneca ou a Janssen.

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos mostram que a aplicação de mais uma dose de reforço aumenta em mais de cinco vezes a imunidade uma semana após a aplicação.

Casos ativos da Covid

Santa Catarina registrou aumento de casos ativos da Covid-19 entre 6 de maio e a última sexta-feira (13). Neste quesito, a região da Grande Florianópolis lidera a participação, conforme boletim divulgado pela Necat (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense) na última segunda-feira (16).

O informe indica que o estado teve um aumento de 1.779 novos casos ativos e chegando, na última sexta, ao total  de 7.193 de catarinenses que ainda estão se recuperando da doença.

Do registro total, os municípios da Grande Florianópolis tem 2.030 casos ativos, representando 28% da participação do número total das pessoas que ainda estão em recuperação.

Apesar disso, o registro de mortes apresentou uma oscilação positiva na última semana, fazendo com que a média diária ficasse em 2,7 óbitos por dia.

+

Saúde

Loading...