Santa Catarina tem 261 pessoas aguardando leitos: “muitos morrerão na fila”, diz MP

Procurador-geral do MPSC, Fernando Comin fala em 'corredor da morte' e defende a aquisição de vacinas de forma direta por parte de estados e municípios para enfrentar pandemia

Após a reunião de segunda-feira (1º) com o governo do Estado e com integrantes de outros órgãos de controle, o procurador-geral do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Fernando Comin, lamentou a situação crítica da pandemia da Covid-19 em Santa Catarina e nos outros estados.

Mais de 200 pessoas aguardam um leito de UTI em SC – Foto: Joice Kroetz – Assessoria de Imprensa HRTGB/NDMais de 200 pessoas aguardam um leito de UTI em SC – Foto: Joice Kroetz – Assessoria de Imprensa HRTGB/ND

Segundo o procurador, os órgãos de controle defendem medidas mais restritivas, fundamentadas em laudos médicos, mas resolveram aguardar e monitorar o crescimento do número de casos e o comportamento do sistema de saúde.

Para Comin, o governo Federal poderia auxiliar, se viabilizasse formas de aquisição de vacinas de forma direta por parte dos estados e dos municípios, situação que já foi autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

“O momento é de união de esforços e temos que deixar de lado eventuais conflitos do pacto federativo. União, estados e municípios devem agir em conjunto e somos favoráveis a abertura para a aquisição de estados e municípios”, sugere.

O procurador do MPSC adverte que o ideal é agir em duas grandes frentes, porque só a vacinação não salvará vidas neste momento.

Fernando Comin, chefe do MPSC – Foto: ReproduçãoFernando Comin, chefe do MPSC – Foto: Reprodução

“Santa Catarina tem 261 pessoas na fila para um leito de UTI e muitas morrerão na fila de espera. Elas já estão morrendo. Na quarta-feira (24) da semana passada, eram 30 pessoas na fila. Ontem (segunda, dia 1º), 261. O MP é o porta voz dessas famílias que têm parentes no ‘corredor da morte’”, lamentou.

Transferências para o ES

A previsão do governo do Estado é de começar a transferir 16 pacientes da região Oeste para as UTIs do Espírito Santo, no Sudeste do país. De acordo com o coordenador de Medicina Aeroespacial do SAMU do Estado de Santa Catarina, Bruno Quercia Barros, serão transportados um ou dois pacientes por dia. O transporte dos 16 pacientes em estado grave poderá levar até 10 dias.

Por meio da assessoria de imprensa, a SES (Secretaria de Estado da Saúde) informou que não há previsão para novas transferências, além da já divulgada.

Sobre o número de 261 pacientes na fila de espera por um leito de UTI, a secretaria afirma que este número “é muito dinâmico e serão divulgados diariamente, tal como o boletim, aos finais de tarde. A gente passa a usar esses dados da tarde, que já contemplam altas, transferências e etc”.

No material divulgado segunda-feira (1º), a SES informou que “há 228 solicitações de transferência por parte das regionais de saúde por meio da Central de Regulação Regional”.

Já o painel de leitos de UTIs divulgados nesta terça-feira (2) apontam que dos 1.565 leitos ativos, 1.478 estão ocupados e 87 disponíveis. Do total de leitos ocupados, são 803 pacientes da Covid-19. A SES não informou se os leitos disponíveis são os que passam por desinfecção para receber um novo paciente ou se estão em manutenção.

Dos 1.478 leitos de UTIs ocupados em SC, 803 são de pacientes da Covid-19 – Foto: Reprodução/NDDos 1.478 leitos de UTIs ocupados em SC, 803 são de pacientes da Covid-19 – Foto: Reprodução/ND
+

Saúde