SC tem 3.820 casos e 73 mortes por coronavírus, alta de 95 casos em 24h

Gestão estadual tratou da chegada dos respiradores e da volta do transporte das altas no Oeste, além das atualizações usuais

Em coletiva transmitida nesta nesta quarta-feira (13), a Secretaria de Estado da Saúde reportou 3.820 casos de coronavírus em Santa Catarina e 73 mortes, representando uma taxa de letalidade de 1,91%, um aumento de 95 casos desde ontem, e um número de mortes estável. Mais de 50% dos pacientes estão recuperados (2.132), e 1.623 ainda estão ativos.

Coletiva transmitida pela internet nesta quarta-feira (13) – Foto: Cristiano Estrela/Secom/Divulgação/NDColetiva transmitida pela internet nesta quarta-feira (13) – Foto: Cristiano Estrela/Secom/Divulgação/ND

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) reconheceu nesta quarta (12) o transporte coletivo como serviço essencial e, nesta quinta (14) a Casa Civil deve se reunir pela manhã para decidir sobre a retomada do transporte. O prefeito da capital, Gean Loureiro (DEM), anunciou que caso o estado decida pela retomada, o município manterá o serviço suspenso.

Moisés afirmou que a decisão é aceitável. “Os municípios que tiverem argumentos para restringir as ações, deverão, inclusive, fazê-lo”. Há semanas, o governador fala que, em caso de decisões isoladas de municípios que queiram restringir ainda mais em relação aos decretos estaduais, o governo irá apoiar a decisão.

O Secretário adjunto de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, reafirmou a posição e ressaltou que “o que não pode é uma maior flexibilização”, informa, ainda, que os órgãos de segurança pública e as empresas ficarão no encargo da fiscalização do serviço

Assista:

Leia também:

Quanto aos respiradores que chegaram ao Brasil, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, falou que a informação ainda não é clara e a discussão do recebimento e fiscalização será feita. Os respiradores devem vir de Guarulhos para Florianópolis por vias terrestres, e ainda devem ser checados, uma vez que não se sabe se estão plenamente de acordo com contrato.

“A gente ainda não abriu essas caixas”, disse Moisés, que também afirmou que esse tipo de problema, de problemas nas aquisições tem sido comum no contexto da pandemia, ocorrendo em “10 ou 15 estados”.

Ao responder questionamento sobre a compra, o governador subiu o tom e disse que o caso, que a aquisição, que já está sendo investigada, não pode ser utilizada para descredibilizar os servidores envolvidos, nem “macular a imagem desse governador, que está aqui falando com vocês, que tem uma carreira ilibada”.

Os respiradores estão presos em Guarulhos, correspondendo à primeira remessa, de 50 aparelhos – de um total de 200 –  entregues pela Veigamed, empresa fluminense. Contudo, a 1° Vara da Fazenda Pública da Comada de Florianópolis decretou o sequestro dos 200 aparelhos, pedindo o ressarcimento dos danos causados aos cofres públicos no processo de compra.

O governador ainda afirmou que Santa Catarina será o primeiro estado a se recuperar no campo econômico, atestando que esse resultado será fruto das medidas tomadas pelo governo.

Índices de Isolamento e alta no Oeste

O secretário da saúde também voltou a externar insatisfação com os índices de isolamento, “infelizmente estamos entre os piores do país, com 39,2%”, pontuou. Essa taxa explica, juntamente com os testes realizados mais amplamente, fenômenos como a alta de casos confirmados na região Oeste.

Motta afirmou que alguns sinais de aumento dos casos teriam gerado dificuldades no enfrentamento e que houve uma mudança no comportamento, refletida nos índices de isolamento, que têm caído novamente desde o dia 3 de maio.

Previsão de pico

O pico de casos e mortes, segundo Moisés, ainda não chegou. O governador chegou a citar as dificuldades que vem com as temperaturas mais baixas, que começaram a ser registradas nestas últimas semanas, algo já citado em outras coletivas, atentando para aumento de casos de resfriado e dificuldades como manter locais ventilados.

“Nós entendemos que com o achatamento da curva aqui em Santa Catarina, nós vamos enfrentar algumas dificuldades, especialmente agora no inverno. O momento é de muito cuidado, de muita precaução.(…) Os dias mais duros ainda estão pra vir”, afirmou o governador do estado.

Leitos de UTI

A gestão também notificou que são 123 pessoas em UTI, dos quais 68 estão em ventilação mecânica. Por outro lado, 300 pacientes já tiveram alta do tratamento intensivo para a enfermagem desde o início da pandemia.

Cada pacientes permanece, em média, 14,2 dias ocupando um leito de UTI, que estão com uma taxa de ocupação de 19,58%. Na média, o estado possui 16,6 leitos para cada 100 mil habitantes, com um total de 1.210, dos quais 396 foram habilitados recentemente.

+

Saúde

Loading...