SC tem 3,3 mil novos casos da Covid-19 e aumenta regiões em estado gravíssimo

A alta do dia fica abaixo da média dos sete dias anteriores, que é de 3,8 mil casos a cada 24h, número que ainda mantém a curva de contágio com certo crescimento

Santa Catarina confirmou 3.365 casos da Covid-19 nesta quarta-feira (13), chegando assim, a um total de 529.389 confirmações desde o início da pandemia, sendo que são 503.449 pacientes recuperados, cerca de 95% do total.

São 5.765 morte até então, com a inclusão de 58 vítimas do vírus nesta atualização epidemiológica. Esses dados deixam a taxa de letalidade em 1,09%, a menor do país.

Adultos na casa dos 30 anos são mais contaminados pelo vírus, ao passo que idosos acima de 60, que fazem parte do grupo de risco, são os mais vitimados pela Covid-19 – Foto: Suelen Cerbaro/NDAdultos na casa dos 30 anos são mais contaminados pelo vírus, ao passo que idosos acima de 60, que fazem parte do grupo de risco, são os mais vitimados pela Covid-19 – Foto: Suelen Cerbaro/ND

A alta do dia fica abaixo da média dos sete dias anteriores, que é de 3,8 mil casos a cada 24h, número que ainda mantém a curva de contágio com certo crescimento.

Em números absolutos, o Estado é o 3º em número de confirmações, em comparação com o resto do país, e ocupa a 11ª posição no ranking de mortes pelo novo coronavírus.

A nível estadual, o panorama segue semelhante, com Joinville, no Norte, assim como Florianópolis, encabeçando a tabela de casos confirmados até então, com mais de 15 mil contaminações a mais do que as demais cidades do ranking.

Os municípios com mais casos confirmados de Covid-19 são:

  • Joinville: 48.754
  • Florianópolis: 45.363
  • Blumenau: 28.112
  • São José: 22.246
  • Criciúma: 20.139
  • Palhoça: 15.790
  • Balneário Camboriú: 15.490
  • Itajaí: 15.207
  • Chapecó: 14.382
  • Brusque: 13.629

Das 16 regiões, 13 estão em risco gravíssimo

A atualização do mapeamento de risco da Covid-19 em Santa Catarina, realizada nesta quarta-feira (13), apresenta um aumento de 12 para 13 regiões que estão em risco potencial gravíssimo, sinalizado em vermelho no mapa. Os dados são da SES (Secretaria de Estado da Saúde).

Alto Vale do Itajaí, Carbonífera e Grande Florianópolis estão em nível grave, um abaixo na escala implantada pelo Governo do Estado para sinalizar a situação em cada região catarinense.

Além disso, as regiões do Alto Uruguai Catarinense, Extremo Oeste, Extremo Sul, Laguna e Serra Catarinense subiram na escala, e agora estão com o sinal vermelho aceso.

Última atualização indica 13 das 16 regiões em estado gravíssimo – Foto: Divulgação/Governo do Estado de Santa Catarina/NDÚltima atualização indica 13 das 16 regiões em estado gravíssimo – Foto: Divulgação/Governo do Estado de Santa Catarina/ND

“A maioria das regiões tem a ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) reservados para atenção dessa doença [Covid-19] superior a 70%. Ainda há registro de muitos óbitos por conta da doença no início de 2021. Houve uma redução no número de exames processados no Lacen (Laboratório Central) para identificação da Covid-19, e o percentual de positividade é maior do que 30% na maioria do Estado”, destaca a epidemiologista Maria Cristina Willemann.

A situação de redução na quantidade de exames feitos foi antecipada pelo ND+. Foram cerca de 16 mil testes PCR feitos no intervalo de uma semana, entre os dias 28 de dezembro a 4 de janeiro.

Índice de ocupação de UTI deixa os 80%

Os 1.535 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da rede pública estão ocupados em 78,9%, segundo dados atualizados na noite de terça (12).

O índice deixou os 80% novamente, depois de oscilar na faixa de 75-85% nas últimas semanas. São, assim 1.212 leitos ocupados, sendo 549 por pacientes da Covid-19.

O número de hospitais superlotados é de oito, um a mais do que no dia anterior. Se analisados os leitos exclusivos da Covid-19, são 15 unidades, sendo que estes são os leitos utilizados para aferir a capacidade de atenção de cada região, o que impacta o nível de risco no mapeamento de risco do Estado.

Veja a lista de hospitais superlotados

  • Hospital Azambuja, em Brusque
  • Hospital Bethesda, em Joinville
  • Hospital Hélio Anjos Ortiz, em Curitibanos
  • Hospital Maicé, em Caçador
  • Hospital Regional Hans Dieter, em Joinville
  • Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê
  • Hospital Sagrada Família, em São Bento do Sul
  • Maternidade Darcy Vargas, em Joinville

Da lista, somente a última unidade não possui pacientes da Covid-19, sendo que trata-se de uma maternidade, unidade em que não são disponibilizados leitos adultos de UTI, faixa etária mais afetada pela Covid-19.

Atualmente, 130 mil confirmações de casos vieram de pacientes na casa dos 30 anos, sendo a mais contaminada. As mortes, contudo, vitimam a parcela da população que têm entre 60 e 90 anos de maneira mais intensa.

Isolamento social em baixa

O índice de isolamento social teve retração em Santa Catarina, ficando em 37,5%, abaixo dos 38,2% de média nacional, número semelhante ao dia anterior.

Os dados são da plataforma In Loco, que mapeia 1,5 milhão de catarinenses via smartphone, e refletem o comportamento da terça (12).

O índice deixa o Estado na 19ª posição no ranking nacional, liderado por Amazonas (48%), Acre (43%) e Amapá (42%).


+

Saúde