60% dos mortos por Covid-19 em SC são homens, aponta novo balanço

Estado tem novos 2,7 mil casos da Covid-19 e beira os 80% de ocupação; número de hospitais lotados também cresceu

Os dados deste sábado indicam uma nova alta de 2.755 casos da Covid-19 em Santa Catarina, somando um total de 611 mil desde o início da pandemia. Desse total, cerca de 584 mil estão recuperados.

Por outro lado, o Estado também soma 6.716 mortes em decorrência do vírus, o que deixa a taxa de letalidade em 1,10%, a menor do país. Nas últimas 24h, foram 30 mortes confirmadas. Chama atenção que, 60% dos mortos são homens.

Nacionalmente, Santa Catarina ainda é, segundo os dados do Conass (Conselho Nacional de Secretarias de Saúde), o 4º Estado com maior número de confirmações de casos e o 12º em mortes pela Covid-19.

Estado soma 6.716 mortes em decorrência do vírus – Foto: Bruno Golembiewski/NDEstado soma 6.716 mortes em decorrência do vírus – Foto: Bruno Golembiewski/ND

A cidade de Joinville, segue como o epicentro, seguida por Florianópolis,  as duas únicas cidades com mais de 50 mil casos, e também com os números mais críticos em mortes pelo vírus.

Em ambos os casos, os municípios somam mais de 20 mil contaminações acima das demais casos.

Os municípios com mais casos confirmados da Covid-19 são:

  • Joinville: 57.173
  • Florianópolis: 53.313
  • Blumenau: 32.527
  • São José: 23.193
  • Criciúma: 21.584
  • Chapecó:18.007
  • Palhoça: 17.942
  • Balneário Camboriú: 17.765
  • Itajaí: 16.728
  • Brusque: 16.344

Estado beira os 130 mil vacinados

Os últimos dados, também desta sexta (12), indicam 129.778 vacinados em solo catarinense, com informações da DIVE (Diretoria de Vigilância Epidemiológica).

O número soma as pessoas que tomarão as duas doses, sendo que a segunda foi aplicada em 11 mil catarinenses.

Desse total, são 109 mil trabalhadores da saúde, 8,5 mil idosos em Instituições de Longa Permanência, 336 deficientes, 4,3 mil indígenas e 7 mil em idosos com 90 anos ou mais. O número representa menos de 1% da população catarinense.

UTIs beiram os 80% de ocupação

Após oscilar nas últimas semanas, o índice de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) segue em alta, se aproximando dos 80% novamente, com 79,9% dos 1.547 leitos ativos ocupados.

Isso significa que são 1.236 leitos indisponíveis, sendo que 540 deles são ocupados por pacientes da Covid-19, número que cresceu mais de 10% nos últimos dias.

O número de hospitais lotados cresceu de oito para 11, sendo que 21 unidades não possuem leitos exclusivos para a Covid-19 disponíveis.

São justamente estes leitos exclusivos que são utilizados para aferir o risco de cada região no mapeamento estadual, figurando como a variável de “capacidade de atenção”.

Veja a lista de hospitais superlotados:

  • Hospital Bethesda, em Joinville
  • Hospital Florianópolis
  • Hospital Hélio Anjos Ortiz, em Curitibanos
  • Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis
  • Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê
  • Hospital Santa Cruz, em Canoinhas
  • Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte
  • Hospital São Braz, em Porto União
  • Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis
  • Maternidade Darcy Vargas, em Joinville
  • Maternidade Dona Catarina Kuss, em Mafra

Somente as três últimas unidades não possuem pacientes da Covid-19 dentre seus quadros, sendo que são maternidades que não possuem leitos adultos.

A relação de hospitais que está em superlotação acaba apresentando volatilidade pois uma faixa dos hospitais mantém o índice de ocupação na casa dos 90%.

Atualmente, são 12 unidades hospitalares nesta situação e, especialmente as unidades com poucos leitos, acabam somando 100% dos leitos de UTI ocupados em curtos períodos de tempo.

Isolamento social segue abaixo da média

Foram 34,5% dos catarinenses em casa durante a sexta (12), índice de isolamento social que segue estável em relação ao restante da semana, e também fica abaixo da média nacional, de 35,6%.

Assim, no ranking das Unidades Federativas, Santa Catarina é o 9º Estado menos isolado. Quem lidera é o Amazonas, que apresenta um índice de 46%.

Os dados são da plataforma In Loco, que mapeia 1,5 milhão de catarinenses via smartphone.

Confira o mapa nacional:


+

Saúde