SC tem segunda maior alta de casos da Covid-19 em 2021 três dias após recorde

Crise da Covid-19 forçou governador a adotar lockdown; medida vem em meio à alta nos casos e no colapso do sistema público de saúde

Nesta sexta-feira (26), Santa Catarina teve a segunda maior alta de casos de Covid-19 em 24h durante o ano de 2021, com 6.050 confirmações. Isso ocorre somente três dias depois de o Estado contabilizar 6.177 infectados na lacuna de um dia.

Assim, atualmente, são 663 mil infectados no Estado, sendo que 622 mil estão recuperados, e 33,4 mil ainda estão ativos, número recorde, que cresceu 66% em somente 10 dias.

9 a cada 10 leitos de UTI estão ocupados em SC, um dos piores índices desde o início da pandemia – Foto: HRSP/Divulgação/ND9 a cada 10 leitos de UTI estão ocupados em SC, um dos piores índices desde o início da pandemia – Foto: HRSP/Divulgação/ND

Nas últimas 24h também foram registradas 77 mortes em decorrência do vírus, ou seja, são 7.242 vítimas até então, deixando Santa Catarina com a menor taxa de letalidade do país, ainda em 1,09%.

O Estado vive a pior situação da pandemia, que já acomete Santa Catarina há quase um ano. Atualmente, 9 a cada 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estão lotados, e o número de casos ativos cresce diariamente.

O problema levou o Governador Carlos Moisés (PSL) a decretar lockdown durante os próximos dois fins de semana, mantendo praticamente somente os mercados abertos durante o período. Os detalhes do regramento você confere aqui.

Em ofício encaminhado aos 295 secretários municipais de saúde, também nesta quarta (25), o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, alertou para a manutenção dos estoques de insumos, principalmente os relacionados aos “kits intubação”.

“Preciso informar a todos que a situação da pandemia deteriorou no Estado todo e a exemplo do que acontece nas regiões mais a Oeste, estamos entrando em colapso! Todos os esforços de Estado e municípios, até então, são insuficientes em face à brutalidade da doença”, anotou o secretário.

Nacionalmente, Santa Catarina ainda é, segundo os dados do Conass (Conselho Nacional de Secretarias de Saúde), o 4º Estado com maior número de confirmações de casos e o 12º em mortes pela Covid-19.

Dentro do território catarinense, o foco está na capital, no Oeste, e na região de Joinville, epicentro da Covid-19 no Estado. Nos três pontos o crescimento de casos foi altíssimo nas últimas semanas, enquanto as UTIs disponíveis foram reduzidas drasticamente.

Os municípios com mais casos confirmados da Covid-19 em SC são:

  • Joinville: 61.862
  • Florianópolis: 57.760
  • Blumenau:35.282
  • São José:25.585
  • Chapecó:24.039
  • Criciúma: 22.523
  • Palhoça: 19.286
  • Balneário Camboriú: 18.522
  • Itajaí: 17.409
  • Brusque: 17.212

Somente a região da Grande Florianópolis soma mais de 20% dos casos confirmados em todo o Estado. A capital, atualmente, tem cerca de 2 mil casos ativos e 89,5% de todos os seus leitos ocupados.

Mais de 55 mil catarinenses tomaram a segunda dose da vacina

Os últimos dados, desta sexta (26), apontam um total de 218.597 vacinados em solo catarinense, com informações da DIVE (Diretoria de Vigilância Epidemiológica).

O número dos que foram totalmente imunizados, ou seja, receberam as duas doses, é menor, de 55,7 mil pessoas.

Destes, são 47 mil trabalhadores da saúde, 5,2 mil idosos em Instituições de Longa Permanência, 279 deficientes, 2,8 mil indígenas, 278 em idosos com 90 anos ou mais, 30 em idosos de 85 a 89 anos e 7 em idosos entre 80 e 84 anos.

“Nesta semana, Santa Catarina recebeu a quinta remessa de doses da vacina contra a Covid-19. Com estas doses, começamos a vacinar as pessoas de 80 a 84 anos. Recebemos cerca de 405 mil doses até então”, afirma o Diretor da Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, João Augusto Brancher Fuck

Nacionalmente, Santa Catarina é em proporção, a quarta Unidade Federativa que menos vacinou.

Abaixo, você confere o mapa da vacinação do nd+.

Sistema de saúde ainda em colapso

Após o anúncio do secretário de Saúde, e mesmo com as novas restrições, o sistema de saúde publica de Santa Catarina ainda vive a pior fase, com 90,6% de todos os seus leitos de UTI ocupados, com dados desta sexta (26).

São 1.568 leitos ativos, mas 1.422 estão ocupados, sendo 799 por pacientes da Covid-19. Se analisarmos os leitos exclusivos, a ocupação sobe para 93%.

Com um índice tão alto, o número de hospitais que encontram-se superlotados também cresceu drasticamente. São 14 dos 55 hospitais que já não tem nenhum leito disponível.

“Infelizmente, percebe-se fenômeno similar no resto do país. Solicito aos gestores municipais que tomem medidas emergenciais para diminuir significativamente a circulação das pessoas, mantendo apenas serviços essenciais e que convoquem toda a força de trabalho da Saúde para o enfrentamento. Estamos mobilizados para fazer todo o possível para diminuir sofrimentos impostos às pessoas, mas a força e gravidade deste momento estão suplantando o resultado das nossas ações”, disse o secretário de saúde em mensagem aos secretários municipais.

Se analisados os leitos especiais para a Covid-19, a situação é ainda mais crítica. São 18 dos hospitais que possuem algum destes leitos, e a grande maioria soma ocupação acima de 90%, perto do colapso.

Em meio à crise da Covid-19, isolamentos segue abaixo da média

Desde o início da vacinação os números de isolamento social enfrentaram queda, com registro das duas maiores baixas neste mês de fevereiro, de 29,9 e 29%, nos dias 22 e 19, respectivamente.

Nesta quinta (25), apenas 31% dos catarinenses permaneceram em casa, abaixo do índice de 31,8%, que reflete a média do comportamento nacional.

Ou seja, Santa Catarina é a 9ª Unidade Federativa menos isolada, em um ranking liderado pelo Estado do Amazonas, que tem índice de 41,5%.

Os dados são da plataforma In Loco, que mapeia 1,5 milhão de catarinenses via smartphone.

Confira o mapa nacional:


+

Saúde