Secretário de Saúde de Santa Catarina orienta população a não estocar comida em casa

Apesar dos relatos de supermercados sem alimentos nas prateleiras, não há motivo para “pânico”

Durante a coletiva de imprensa sobre o avanço do coronavírus em Santa Catarina na manhã desta terça-feira (17) o  secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, orientou a população a não estocar comida.

O comentário foi feito após o gestor ser questionado sobre informações de vídeos e fotos que circulam na internet sobre supermercados sem alimentos nas prateleiras. Conforme Zeferino, no entanto, não há motivo para “pânico”.

Movimento intenso nos supermercados à procura de produtos de limpeza acende alerta para medidas de prevenção – Foto: Flávio Tin/ND

Apesar dos relatos, de acordo com o secretário, o governo mantém conversas com as associações de supermercados de Santa Catarina, que afirmaram que há estoque suficiente para manter o abastecimento no Estado. A preocupação, agora, é para o aumento desnecessário da busca por produtos que são comprados sem necessidade pela população. 

“Não precisamos sobrecarregar a rede de supermercados. Até porque, estamos no contrassenso do que recomendamos. Não queremos que as pessoas tenham exposição a aglomerações do convívio social. Não devemos ter pânico”, afirmou. 

Apesar do movimento em grandes mercados, pequenos estabelecimentos não registram grande aumento – Foto: Anderson Coelho/ND

Mesmo com a chegada do coronavírus, mercados e estabelecimentos menores permanecem com atendimento normalizado. Em Palhoça, na Grande Florianópolis, a Mercearia Lara, não registrou aumento de procura. “Aqui até diminuiu um pouco do movimento. O que está faltando mesmo, é o álcool em gel”, disse.

Durante a coletiva nesta manhã, Zeferino falou sobre a busca pelo produto. Segundo o secretário, o mercado já está se “ajustando a nova realidade” “Não é necessário estocar comida em casa, estocar água ou papel higiênico. Ou seja, esses insumos continuam disponíveis”, falou. 

Leia também:

No encontro, que contou com a presença do secretário da Educação, Natalino Uggioni, e do secretário da Justiça, Leandro Lima, o governo anunciou a suspensão das visitas nas unidades prisionais e cancelamento de cirurgias eletivas. 

Até o momento, sete pessoas foram confirmadas com vírus no território catarinense. Outras 109 são monitoradas. Nesta tarde, o governo irá atualizar os dados. 

+

Saúde