Sem previsão de mais doses da Astrazeneca, SC deve definir como ficará 2ª dose

Somente na região ampliada da Grande Florianópolis, 12 municípios não têm o imunizante da Astrazeneca à disposição

Sem a previsão da chegada de mais doses da Astrazeneca, a SES (Secretaria de Estado da Saúde) distribuiu na terça-feira (9) mais uma remessa com 185.808 doses da vacina Pfizer. Somente na região ampliada da Grande Florianópolis, 12 municípios não têm o imunizante da Astrazeneca à disposição.

O superintendente do Ministério da Saúde em Santa Catarina, Rogério Ribeiro, informou na manhã desta quarta-feira (10) que aguarda uma confirmação de Brasília (DF) sobre o envio desse imunizante.

Faltam vacinas da Astrazeneca em pelo menos 12 cidades de Santa Catarina – Foto: Divulgacão/O Trentino/NDFaltam vacinas da Astrazeneca em pelo menos 12 cidades de Santa Catarina – Foto: Divulgacão/O Trentino/ND

Questionado sobre a orientação de como proceder em casos do vencimento do prazo para a aplicação da 2ª dose da Astrazeneca, se a população deve aguardar ou tomar a Pfizer, o superintendente Rogério informou que terá uma reunião na manhã desta quarta para tratar do assunto, entre outros temas.

“Não conversei com o Eduardo Macário (superintendente da Dive – Diretoria de Vigilância Sanitária de SC) ainda sobre isso. Hoje (quarta – 10) terei reunião ainda pela manhã”, comentou o superintendente do Ministério da Saúde. A reportagem tentou contato com o diretor da Dive, mas não obteve resposta.

Das 185.808 doses da Pfizer enviadas aos 295 municípios catarinenses, 38.976 são para a aplicação da primeira dose (D1) nos adolescentes de 12 a 17 anos; 95.202 doses são para a segunda dose (D2); e 51.630 são para o reforço (DR) nos idosos com 60 anos ou mais e nos trabalhadores da saúde.

Com mais essa remessa, o Estado conclui o envio de pouco mais de 73% das doses necessárias para vacinar todos os adolescentes de 12 a 17 anos com a primeira dose. A população nesta faixa etária no Estado é de 549.894 pessoas (IBGE, 2020).

A gerente de imunização da Dive, Arieli Schiessl Fialho, explica que a administração da dose de reforço nos idosos deve ocorrer cinco meses após a última dose ou dose única do esquema de vacinação primário. No caso dos trabalhadores da saúde, o intervalo para a aplicação da dose de reforço é de, ao menos, seis meses.

As doses das centrais regionais de Lages, Rio do Sul, Blumenau, Grande Florianópolis, Itajaí, Tubarão, Criciúma, Araranguá, Jaraguá do Sul, Joinville e Mafra foram transportadas de carro. As doses das centrais de São Miguel do Oeste, Chapecó, Concórdia, Xanxerê, Joaçaba e Videira foram transportadas pelo avião do Corpo de Bombeiros Militar.

Algumas cidades sem Astrazeneca

  • Águas Mornas
  • Alfredo Wagner
  • Biguaçu
  • Canelinha
  • Garopaba
  • Governador Celso Ramos
  • Leoberto Leal
  • Nova Trento
  • Palhoça
  • Paulo Lopes
  • São Bonifácio
  • Tijucas
+

Saúde

Loading...