Sem sequelas, menino que caiu de Gorila no Beto Carrero deixa hospital

Enzo, de 6 anos de idade, já pode retornar para casa em Curitiba (PR) com o pais, onde deve seguir acompanhamento médico

O pequeno Enzo já pode voltar para casa com os pais depois que recebeu alta do hospital Pequeno Anjo, em Itajaí. Desde o dia 19 de junho, o menino estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) depois que caiu de um estátua de Gorila do parque Beto Carrero World, em Penha.

Chovia na cidade no momento do acidente e o menino sofreu traumatismo craniano e fratura da clavícula, ficando em estado grave e precisando passar por cirurgia. A estátua tem aproximadamente 4 metros de altura, onde normalmente os visitantes sobem para tirar fotos.

Criança caiu de estátua de gorila que tem aproximadamente 4 metros – Foto: Reprodução/NDCriança caiu de estátua de gorila que tem aproximadamente 4 metros – Foto: Reprodução/ND

De acordo com o boletim médico desta sexta-feira (2), “Enzo deve manter acompanhamento ambulatorial em sua cidade de origem para prevenção de sequelas motoras devido a fratura de clavícula e ao traumatismo cranioencefálico que foram constatados durante a internação hospitalar”.

Sonho em visitar o Parque

A visita ao parque era um sonho para o pequeno Enzo, que pediu de presente de aniversário um dia no Parque. O menino mora em Curitiba (PR), e a família arrecadou dinheiro para realizar o sonho do pequeno.

Nas redes sociais, a comoção pelo acidente é grande e familiares do menino se manifestaram contando o esforço da família para realizar o desejo de aniversário do pequeno.

Em nota, os advogados da família afirmaram que “Enzo estava ansioso para viver seu dia de magia. Seus pais, com muito sacrifício, conseguiram transformar em realidade este evento tão sonhado e que, devido ao acidente, se tornou em pesadelo”.

Castelo das Nações, entrada do parque Beto Carrero World – Foto: Beto Carrero World/DivulgaçãoCastelo das Nações, entrada do parque Beto Carrero World – Foto: Beto Carrero World/Divulgação

Polícia investiga possíveis negligências

Com o registro do boletim de ocorrência, o ND+ falou com exclusividade com o delegado responsável pelo caso, Rodolfo Farah, que explicou o motivo da investigação não ter começado imediatamente após o acidente.

“Estava aguardando se os pais da criança iriam falar comigo, já que eles são os responsáveis, ou se eu teria que instaurar o inquérito por ofício”, detalhou.

A polícia investiga o caso no âmbito de lesão corporal, por conta da gravidade dos ferimentos da criança. Enzo precisou ser internado na UTI do hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, após sofrer traumatismo craniano. Ele passou por uma cirurgia e precisou de aparelhos para respirar.

“Já estávamos atentos ao caso, então começamos a levantar algumas informações por fora, mas aguardamos o pai da criança oficializar a denúncia para oficializarmos a investigação”, disse Farah.

Fatalidade

O delegado destaca que as primeiras diligências apontam para uma fatalidade. No entanto, são investigadas possíveis negligências por parte do parque e da família da criança.

“As pessoas estão querendo antecipar uma situação, colocando uma culpa no parque que não existe. O parque é um local de atrações e o que aconteceu ali, aparentemente, foi uma fatalidade”, disse.

Farah reforça a apuração da postura dos pais e do parque em todo o contexto do acidente. “Agora, nós vamos analisar as informações para ver se realmente foi uma fatalidade, ou se houve falhas que ocasionaram esse acidente. Uma falha que pode inclusive ser dos pais da criança, não é só o parque que pode acabar sendo responsabilizado pela questão. Os pais da criança também podem”, conclui.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...