João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Servidor da Saúde que não quer vacina será transferido para o Centro de Zoonoses

Medida anunciada pela administração municipal de Criciúma é considerada penalização à recusa à vacina

Os 14 servidores da Secretaria de Saúde de Criciúma, que num primeiro momento se negaram a tomar a vacina da COVID, podem ser transferidos para o Centro de Zoonoses. Trata-se de um setor ligado à mesma pasta, mas que cuida dos casos de infecções transmitidas de animais para os seres humanos. A medida seria uma forma de punição pela reação inicial. A decisão foi do prefeito Clésio Salvaro, mas encontra resistência no Secretário Municipal de Saúde, Acélio Casagrande.

Servidores de Criciúma se negam a receber a vacina e são penalizados por isso. – Foto: Secretaria Municipal de Saúde Criciúma.Servidores de Criciúma se negam a receber a vacina e são penalizados por isso. – Foto: Secretaria Municipal de Saúde Criciúma.

Inicialmente estes 14 servidores, todos do quadro efetivo da prefeitura de Criciúma, se recusaram a receber a vacina. O prefeito determinou a instalação de um processo de demissão com imediata suspensão do pagamento dos salários. Isso concretizado abriria uma demanda jurídica, mas todos eles mudaram de opinião e passaram a aceitar a vacina. Nem por isso a situação foi considerada superada. O prefeito diz não ter absorvido, ainda, a decisão inicial.

Clésio Salvaro sentencia: “profissional da saúde que não acredita na ciência não pode estar nesta área de saúde humana”.