Sete toneladas de resíduos são recolhidos nos cemitérios de Joinville

Foi uma ação da prefeitura de Joinville, para combater a proliferação do mosquito da dengue

Durante toda esta semana, uma ação de vistoria e fiscalização ocorreu em 14 cemitérios de Joinville, Norte de Santa Catarina. Foi uma ação da prefeitura de Joinville, por meio das secretarias da Saúde e Agricultura e Meio Ambiente para combater a proliferação do mosquito da dengue.

Ação contra o mosquito da dengue nos cemitérios de JoinvilleNo cemitério Municipal, foram removidos 160 sacos de lixo – Foto: Secom/Prefeitura de Joinville/Divulgação ND

O trabalho teve apoio do 62º Batalhão de Infantaria de Joinville. Ao todo, cerca de 100 pessoas estiveram envolvidas no trabalho. Cerca de sete toneladas de materiais que podem acumular água foram recolhidos, o suficiente para encher seis caminhões, segundo o coordenador da Vigilância Ambiental de Joinville, Anderson da Silva.

O trabalho aconteceu nos cemitérios Cubatão, Pirabeiraba, Rio da Prata, São José, Municipal, Cristo Rei, Nossa Senhora de Fátima, Canela, Rio Bonito, Santa Catarina, São Sebastião, Estrada da Ilha, Cometa e Dona Francisca.

Apenas no Cemitério Municipal de Joinville, o maior da cidade, foram removidos 160 sacos de lixo com capacidade de 100 litros cada um apenas neste local.

Mesmo com a vistoria, a Prefeitura de Joinville orienta as pessoas que forem fazer visitas nos cemitérios para que tenham cuidado com materiais que possam acumular água. Exemplos são as embalagens plásticas de flores, os pratinhos de vasos e objetos usados para acender velas.

Os cemitérios são espaços que passam por vistoria dos agentes de combate a endemias frequentemente. Assim como demais pontos considerados estratégicos como borracharias e ferros velhos.

Números da dengue

Joinville está com 5.156 casos confirmados da doença e quatro mortes já foram registradas neste ano. Os bairros com mais casos são Costa e Silva, Iririú, Comasa, Jardim Iririú e Aventureiro.

Monitoramento é realizado o ano todo

Outra frente de trabalho são as visitas nas residências, especialmente nos bairros com maior quantidade de focos do mosquito para orientar os moradores sobre como eliminar possíveis criadouros.

O último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), realizado pela Vigilância Ambiental de Joinville em março deste ano, apontou que 45% dos focos do mosquito ficam localizados em residências.

Desta quantia, a maioria estava em recipientes como pratinhos de plantas, potes de água e copos descartáveis. Outros focos foram encontrados em objetos considerados sucatas, como entulhos que são depositados no fundo de terreno, caixas d’ água desativadas, lonas ou plásticos usados para cobrir materiais. Também foram identificados pontos de atenção em piscinas e bocas de lobo.

Ação contra o mosquito da dengue nos cemitérios de JoinvilleFoto: Secom/Prefeitura de Joinville/Divulgação ND

A Secretaria de Saúde realiza a instalação e acompanhamento de armadilhas além de monitoramento das Estações Disseminadoras, armadilhas implantadas em parceria com a Fiocruz Amazônia.

A população pode acompanhar no site joinville.sc.gov.br/dengue, os dados sobre a doença na cidade.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...