Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Simesc volta a defender autonomia dos médicos no combate à Covid-19

Nota oficial manifesta preocupações com contratos novos

O Sindicato dos Médicos de Santa Catarina lançou nota oficial para reiterar que no combate a pandemia da Covid-19 deve ser assegurada a autonomia dos médicos.  Eles é que sabem qual o tratamento a ser encaminhado aos pacientes.

Manifesta preocupação, também, sobre contratações que estariam sendo feitas de não médicos para orientação de doentes.

Confira a íntegra:  “Estamos no momento de maior fragilidade pelo agravamento e evolução da Covid-19 em âmbito nacional e estadual desde que esse desafiador processo foi instalado há 12 meses. Por fatores que agravam essa situação, faz-se necessário que o Sindicato dos Médicos do Estado de Santa Catarina reafirme sua posição sobre a autonomia do médico.

Além da doença que mutilou famílias e nos tirou do convívio com dezenas de médicos, vislumbramos uma nova luta: o absurdo que se configura a interferência de não médicos na decisão de instituir ou não instituir o tratamento para a Covid-19.

Não bastasse isso, alguns gestores públicos insistem na contratação de pessoas não habilitadas para trabalhar como médico. Convivemos também com outros que demoram na aplicação das vacinas, o que gera mais insegurança na população e entre os profissionais da saúde.

No meio da insensatez causada pelas atitudes citadas, a combativa população catarinense sofre…

A autonomia do médico tem respaldo do Conselho Federal de Medicina – Parecer 4/2020, endossado por nota do Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina – em que reforçam que “O princípio que deve obrigatoriamente nortear o tratamento do paciente portador da Covid-19 deve se basear na autonomia do médico e na valorização da relação médico-paciente, sendo esta a mais próxima possível, com o objetivo de oferecer ao doente o melhor tratamento médico disponível no momento”.

Ou seja, o médico tem a autonomia para deliberar junto com seu paciente sobre a melhor opção terapêutica para o tratamento da Covid-19 e para todas as demais doenças que se apresentam em nosso cotidiano.

Para cumprir tal desiderato – adotar conduta médica com autonomia, o médico estuda muito durante toda a vida e, formada a sua convicção, tem o dever ético de oferecer ao paciente o que entender ser o melhor para aquele caso. Na sagrada clausura do seu consultório devem decidir os dois – e mais ninguém!

Nossa bela e digna profissão não pode ser apequenada por decisões que não a respeitem e insistimos para que os médicos resistam a interferências, e devem promover denúncias

às entidades que representam a categoria quando acharem pertinente.

Cada médico é um e cada paciente é único!

Nós, do Sindicato dos Médicos, permanecemos à disposição.

Pela autonomia do médico, sempre!”

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.