Sindicato quer colocar profissionais da coleta de lixo como prioridade na vacinação

Uma das justificativas para o ofício, encaminhado ao Ministério da Saúde, é de que o serviço ajuda a criar importantes barreiras sanitárias

O sindicado que representa as empresas de limpeza urbana no Brasil, o Selurb, enviou ao Ministério da Saúde um ofício para que os trabalhadores sejam inseridos nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19.

Trabalhadores da Comcap trabalham para normalizar a coleta de rejeitos na cidadOfício leva em conta os 348 mil trabalhadores que atuam diariamente na coleta de lixo – Foto: Maria Fernanda Salinet/Arquivo/ND

A justifica, segundo o sindicato, é de que se trata de serviço essencial, que  constitui, inclusive, uma importante barreira sanitária para evitar a propagação de doenças virais e bacterianas.

O ofício leva em conta os 348 mil trabalhadores que atuam diariamente na coleta, tratamento destinação final de lixo.

No texto, pede-se o reconhecimento da classe em meio à crise sanitária: “A saúde pública está diretamente ligada ao bom desempenho dos serviços de Limpeza Urbana, Coleta e Tratamento de Resíduos Sólidos”.

Até o momento, no entanto, não houve retorno da pasta referente ao pedido. “O deputado federal Guiga Peixoto (PSL) referendou o pedido do setor em novo ofício encaminhado ao Ministério da Saúde, também não obtendo retorno”, afirmou a Selurb, em nota.

Comcap

A Comcap, autarquia que realiza os serviços de coleta em Florianópolis, afirma que não recebeu orientação a respeito da movimentação do Selurb, mas afirma que a crise sanitária causa preocupação nos profissionais.

Crise sanitária causa preocupação nos profissionais da coletaCrise sanitária causa preocupação nos profissionais da coleta – Foto: Adriana Baldissareli/PMF/Arquivo/ND

Tanto é que há, no momento, 400 profissionais afastados por pertenceram ao grupo de risco do novo coronavírus. É por isso, segundo a prefeitura da Capital, que a coleta no Continente ainda depende do auxílio de uma empresa terceirizada, com contrato vigente até dia 18 de julho.

Reconhecendo os riscos diários de contaminação, a autarquia lembra que, desde o início da pandemia, adota medidas para conter o avanço da Covid-19 nas equipes, como testagem e execução de um manual de biossegurança.

Até a publicação da matéria, a reportagem não conseguiu contato com a empresa contratada, em Florianópolis, referente ao ofício do Selurb.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde