Cacau Menezes

Apaixonado pela sua cidade, por Santa Catarina, pelo seu país e pela sua profissão. São 45 anos, sete dias por semana, 24 horas por dia dedicados ao jornalismo


Situação da Covid em SC seguiu modelo inglês

Deu errado

Diariamente a Secretaria de Estado da Saúde repassa as prefeituras os resultados da Covid-19 em toda Santa Catarina. O modelo adotado é da ‘Imperial College London’. No inicio de março, a renomada instituição de ciência, tecnologia e medicina, errou feio quando projetou possíveis cenários de evolução do novo coronavírus no Brasil, gerando alvoroço e pânico. No melhor deles, com 75% de toda a população em quarentena, os cientistas calcularam 44 mil óbitos. No pior, sem qualquer medida, as mortes passariam de 1,1 milhão com 187 milhões de infectados até Agosto. No entanto, seis meses depois, os resultados estão melhores até que o cenário mais otimista. A Imperial também recomendou três estratégias de combate: “sem intervenções”, “intervenção geral” ou “aprimorada”. A estratégia drástica (aprimorada), previu 529 mil mortos até agosto (foram 129 mil, com muitas controvérsias, pois 2/3 tinham diversas comorbidades).
Curiosamente, a principal voz do pior cenário da Imperial, virou “expert” contratado pelo TSE para ensinar o que é (ou não é) fake news.
Não seria de duvidar se Atila Iamarino também aparecesse em campanhas estaduais recomendando o #ficaemcasa.

Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera. – Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/ND