Tédio e tristeza são sentimentos que mais afetam catarinenses na quarentena

Dados fazem parte de pesquisa da Lupi & Associados que entrevistou 901 moradores da Grande Florianópolis

Tédio e tristeza são os sentimentos mais presentes na rotina dos catarinenses durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Insegurança e stress também foram lembrados pelos entrevistados. Os dados são pesquisa “A Grande Florianópolis e a Covid-19”, levantamento mais recente sobre as percepções do morador da região, comandado pela Lupi & Associados.

Pesquisa mostrou sentimentos mais frequentes entre catarinenses na quarentena – Foto: Kay Jayne/PexelPesquisa mostrou sentimentos mais frequentes entre catarinenses na quarentena – Foto: Kay Jayne/Pexel

Foram ouvidos 901 moradores de Biguaçu, Florianópolis, São José e Palhoça entre os dias 8 e 13 de maio. As entrevistas foram feitas por formulário eletrônico ou por telefone.

Leia também:

O levantamento tem margem de erro de 3 pontos percentuais (para mais ou para menos), com coeficiente de segurança de 95%.

Os entrevistados tiveram de responder com qual frequência sentiam tédio, tristeza, insegurança, solidão, angústia/ansiedade, stress/cansaço e tensão/preocupação durante a quarentena.

As respostas foram classificadas em: “ocasionalmente”, “em muitas ocasiões” ou “todo o tempo”.

Tédio e tristeza são os mais relatados – Foto: Lupi & Associados/DivulgaçãoTédio e tristeza são os mais relatados – Foto: Lupi & Associados/Divulgação

As opiniões mais recorrentes eram de tédio e tristeza sentidos “ocasionalmente”, com 52,8% e 52,4% respectivamente. A insegurança foi o sentimento que mais apareceu como sentida “em muitas ocasiões”, assim como a angústia ou ansiedade.

Este, com 10,1%, foi o segundo mais relatado por entrevistados quando questionados sobre o que sentiam “todo o tempo”. Ele perde apenas para a tensão/preocupação sentida por 12%. A solidão é o sentimento mais relatado como “nunca” sentido pelos entrevistados pela pesquisa, com 57,9%,

Responsável pela pesquisa, o pesquisador Paulo Pedroso disse que isto pode estar associado a presença de familiares no mesmo ambiente durante o isolamento.

Maioria diz praticar atividades físicas

A pesquisa também questionou a prática de atividades físicas pelos entrevistados neste período de isolamento. 57,8% diz praticar atividades físicas durante a quarentena com diferenças na frequência.

57,8% diz praticar atividades físicas durante a quarentena – Foto: Lupi & Associados/Divulgação57,8% diz praticar atividades físicas durante a quarentena – Foto: Lupi & Associados/Divulgação

Na parcela que diz praticar exercícios, 23,5% diz se exercitar até três vezes por semana, 14,9%, que malham todos os dias e, 19,4% ao menos uma vez por semana. Já 42,2% não tem se exercitado.

Uma fatia de 44,1% dos entrevistados acredita que está mantendo o peso e 32,7% acha que engordou. Há ainda 9% que dizem ter emagrecido e 14,2 que não tem controlado o peso.

+

Saúde

Loading...