Cacau Menezes

Apaixonado pela sua cidade, por Santa Catarina, pelo seu país e pela sua profissão. São 45 anos, sete dias por semana, 24 horas por dia dedicados ao jornalismo


Termômetros digitais infravermelhos na mira do MPF

Só não vê quem não quer

Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que fiscalize os termômetros digitais infravermelhos, utilizados em ambientes públicos e privados para aferir a temperatura corporal humana. Também foi recomendado ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) que fiscalize as empresas que produzem ou importam esses termômetros.
Um procedimento foi instaurado pelo procurador da República em Santa Catarina Carlos Augusto de Amorim Dutra com o objetivo de apurar possíveis irregularidades nos termômetros digitais infravermelhos, utilizados para medição da temperatura corporal nas entradas de supermercados, shoppings, empresas, bares, restaurantes  e igrejas de Floripa, em decorrência da pandemia de Covid-19. Segundo o que foi apurado, não há controle da eficiência desses termômetros.

Aferição de temperatura deverá ser feita com termômetro digital infravermelho com mira laser para corpo humano – Foto: Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/NDAferição de temperatura deverá ser feita com termômetro digital infravermelho com mira laser para corpo humano – Foto: Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND