Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.


Tratamento inovador contra a flacidez na região dos olhos chega a Florianópolis

Médica Flavia Esteves Passarini anuncia uso de equipamento de tecnologia italiana à base de plasma para a delicada área das pálpebras

A carioca Flavia Esteves Passarini, médica graduada pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, em 2004, com pós-graduação em dermatologia clínica e cirúrgica pelo Instituto Izamar Milidiú do Rio, em 2008, mudou-se com o marido ortopedista, Silvio Passarini Jr., para Florianópolis em 2017.

Veio a convite de outra médica, Roberta Carraro, que estava de mudança para os Estados Unidos e buscava um profissional de confiança e com objetivos semelhantes para ajudá-la na administração. As duas acabaram firmando sociedade na clínica de beleza e bem-estar que leva o nome da sócia.

Flavia diz que aliou a busca pela realização profissional com a busca de qualidade de vida para estabelecer-se e criar os filhos na Capital catarinense. E, ao que tudo indica, a decisão já está rendendo frutos. Aqui nasceu Giulia, de dois anos e três meses, e em fevereiro chega mais uma manezinha, a Valentina. Feliz, ela agora anuncia uma novidade em tratamento estético para o público da região.

Que tratamento revolucionário é este que você está trazendo para Santa Catarina?

Adquirimos o Plasmage, uma nova tecnologia de plasma fracionado fabricado pela empresa italiana Brera, que tem 30 anos de experiência em tecnologias para o segmento de medicina estética, indicado para tratamentos não invasivos. O equipamento chegou ao Brasil no fim de 2019 e foi adquirido em março deste ano, um pouquinho antes da pandemia.

O plasma é indicado para uso dermatológico?

O plasma é considerado o quarto estado da matéria. Mais de 99% do universo é constituído de plasma, embora ele seja raro na Terra, onde se encontra em produtos industrializados como lâmpadas fluorescentes e luzes de neon, e em seu estado mais natural na aurora boreal. Existem vários tipos de plasma no mercado, mas o Plasmage é o primeiro plasma fracionado patenteado para uso dermatológico.

Plasmage, equipamento de tecnologia italiana, promove tratamento a base de plasma para controle da flacidez na região dos olhos – Foto: Divulgação/ND

Como é a aplicação?

O Plasmage é capaz de gerar o plasma por meio de uma descarga elétrica. É como se fosse um pequeno relâmpago. Nem encostamos o eletrodo na pele. Esta pequena descarga elétrica provoca uma reação que chamamos de sublimação na pele, que é a retração dos tecidos. Trata-se de uma descarga elétrica que aumenta a temperatura da pele e destrói a camadinha mais superficial da pele, que é a epiderme.

Que benefícios ele oferece?

O Plasmage foi desenvolvido principalmente para tratar a flacidez palpebral, como uma forma segura para tratar a área difícil e delicada das pálpebras superiores e inferiores. Oferece um alto nível de segurança e um controle perfeito da região aplicada. Temos outros tratamentos para esta área, mas têm limitação por conta dos olhos. E o plasma vem para pegar este nicho. Tem outras indicações também, mas o foco é a pálpebra.

Você garante total eficiência?

Costumo dizer que nada na dermatologia substitui a indicação cirúrgica. Mas o tratamento é uma opção para o paciente que não quer fazer cirurgia. E o resultado é bem natural, pois também estimula o colágeno. O protocolo da empresa é de três sessões, com intervalos mensais. Claro que isso depende da resposta individual de cada paciente ao tratamento.