Trombose e vacinas? Presidente do Instituto de Excelência em Doenças Venosas tira dúvidas

Fábio Rossi falou sobre a relação entre a formação de coágulos e os imunizantes no SC no Ar desta quinta-feira (25)

Apesar de ser um evento raro, o risco de trombose ainda deixa muitas pessoas receosas na hora de se vacinar contra a Covid-19. Para esclarecer dúvidas sobre o tema, o SC no Ar desta quinta-feira (25) recebeu o presidente do Instituto de Excelência em Doenças Venosas e cirurgião vascular, Fábio Rossi.

Risco de trombose ainda deixa muitas pessoas receosas na hora de se vacinar contra a Covid-19 – Foto: PixabayRisco de trombose ainda deixa muitas pessoas receosas na hora de se vacinar contra a Covid-19 – Foto: Pixabay

Segundo o médico, “a trombose é uma doença extremamente prevalente na nossa população. Ela ocorre em quatro a cada mil habitantes por ano. E a gente tem alguns tipos de trombose, que pode ser a trombose venosa profunda ou a embolia pulmonar, que é sua consequência mais grave”.

“Durante a pandemia, nós todos percebemos durante a nossa prática clínica e também com os estudos que foram publicados que houve um importante aumento do índice de embolia pulmonar. O que ocorre é que se desloca um coágulo pela corrente sanguínea. Geralmente, o trombo se forma nas pernas e quando ele se desloca pode ir até o pulmão”, contou Rossi.

Ainda conforme o cirurgião, “a Covid-19 está relacionada a um processo inflamatório exacerbado e isso pode provocar a formação de trombos com mais facilidade tanto nas pernas como também no pulmão. Então, durante a pandemia, realmente a gente notou um aumento dessa prevalência, infelizmente, que está diretamente relacionado principalmente com os casos fatais da Covid-19”.

Saiba mais na entrevista completa.

+

SC no ar – Entrevistas

Loading...