Uma cidade de SC concentra maiores taxas de agravamento da Covid-19; veja detalhes

Dados do Necat mostram que a disseminação do vírus está em um patamar gravíssimo em duas das 16 regiões do Estado

Chapecó registrou um salto no número de casos de Covid-19 e se consolida como a cidade com as maiores taxas semanais de crescimento da doença no Estado. Os dados são do último boletim do Necat (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), desta segunda-feira (23).

Chapecó tem a maior taxa de crescimento de casos de Covid-19 em SC – Foto: Leo Munhoz/NDChapecó tem a maior taxa de crescimento de casos de Covid-19 em SC – Foto: Leo Munhoz/ND

De 13 a 20 de agosto, o município registrou a maior taxa de aumento de casos do novo coronavírus, com 2,5%. A tendência recente de crescimento é bem acima da média estadual, de 1,5%, aponta o boletim.

Assim, Chapecó voltou a ser a quarta cidade de Santa Catarina com o maior número absoluto de pessoas contaminadas. Do dia 26 de novembro de 2020 a 20 de agosto de 2021, registrou 39.368 casos da doença.

Relembre a explosão de casos

O momento mais emblemático do município durante a pandemia ocorreu nos meses de fevereiro e março, quando uma explosão de casos foi registrada.

No dia 26 de fevereiro, o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), recuou no ” lockdown parcial” e aderiu ao decreto estadual, que promovia restrições também aos fins de semana.

“O quadro é gravíssimo, continuamos sem leito, mas depende de cada um tomar o devido cuidado. Não é um decreto que fará o vírus parar de circular é a atitude individual de cada um”, disse à época, quando o município tinha 24.467 casos confirmados.

Após as medidas de controle, houve um recuo do número de casos em abril e nas primeiras semanas de maio, em que apresentou crescimento de 1%, inferior à média estadual.

Possibilidade de novas medidas

Em meio ao avanço da variante Delta do Sars-Cov-2 , prefeituras de Santa Catarina sinalizaram novas medidas restritivas aos moradores e servidores que decidiram se vacinar contra a doença, inclusive a adoção do “passaporte de vacina” para entrar em locais públicos, semelhante ao decretado em São Paulo.

No entanto,  como apurado pelo repórter do ND+, Felipe Bottamedi, fora as restrições adotadas pelos órgãos públicos e pelo Estado, a prefeitura de Chapecó  não implementou nenhuma medida adicional até esta segunda-feira (23).

Quadro da doença no Estado

Na semana analisada, as dez cidades com o maior número de casos no Estado apresentaram movimentos distintos. Entre elas, Itajaí, Blumenau e Jaraguá do Sul têm taxas de crescimento negativas,
enquanto as demais apresentaram aumento.

Os destaques negativos, com aumento de casos, ficam por conta de Chapecó (23,5%), Criciúma (25%), Palhoça (15%) e Joinville (14,5%).

Os números consolidam Santa Catarina no segundo lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença.

“Esses resultados decorrem dos elevados índices de contaminação registrados, sobretudo a partir do mês de novembro de 2020, quando o mais grave surto da doença tomou conta do Estado”, afirma o estudo.

Assim, nesses sete dias, a média semanal móvel de casos foi de 1.466 registros diários, enquanto a média semanal móvel de mortes foi de 24 ao dia. A cada 23 dias, foram registrados 40 mil novos casos de Covid-19.

Conforme o último mapa de risco divulgado pelo governo estadual, o indicador que mede a taxa de transmissão do vírus na população — número de reprodução efetivo (Rt), permaneceu no patamar de 0.95.

Segundo o Necat, isso significa que a disseminação do vírus está em um patamar gravíssimo em duas das 16 regiões de saúde do Estado, além de uma situação grave em outras sete regiões.

Vacinação em Santa Catarina

Nesta segunda-feira (23), Santa Catarina alcançou a marca de 80% da população adulta acima dos 18 anos vacinada com a primeira dose contra a Covid-19.

O vacinômetro estadual apontou que 4.468.848 pessoas receberam a primeira dose, 1.741.031 foram vacinadas com a segunda e 238.100 com dose única até as 17h desta segunda.

+

Saúde

Loading...