Uma semana após habilitar leitos de UTI, hospital de Joinville fica sem remédios básicos

Hospital Bethesda informou que não tem mais estoque de anestésico, relaxante muscular e sedativo, remédios básicos no tratamento da Covid-19 em pacientes internados na UTI

Uma semana depois de habilitar leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para tratamento de pacientes com a Covid-19, o Hospital Bethesda, em Joinville, no Norte de Santa Catarina, não possui estoque de medicamentos básicos utilizados, justamente, no tratamento desses pacientes.

Hospital Bethesda habilitou 10 novos leitos, mas uma semana depois não consegue receber novos pacientes por falta de medicamento – Foto: Divulgação/ND

O hospital informou, por meio de nota, nesta segunda-feira (3), que passa por uma situação “muito crítica em função do abastecimento de medicamentos”. De acordo com a direção do Bethesda, os principais déficits são de anestésico, relaxante muscular e sedativo.

O diretor do hospital, Hilário Dalmann, explica que não consegue comprar novos medicamentos na lista de fornecedores repassada pela Secretaria da Saúde e o estoque está no limite. “Estamos com os dez leitos de UTI lotados, porém sem condição de oferecer um tratamento adequado e digno, por falta desse tipo de medicamento”, salienta.

Neste momento, conta o diretor, o Hospital Municipal São José tem dado suporte, fazendo o repasse emergencial de medicamentos. “Pedimos assim ajuda imediata do poder público e ainda da mobilização da iniciativa privada da área farmacêutica, já que o momento requer ao máximo um esforço conjunto da sociedade”, diz.

A falta de medicamentos impacta diretamente na estrutura de tratamento aos pacientes da Covid-19. “O Hospital Bethesda informa que está sem condições de receber novos pacientes de UTI até que a situação crítica se regularize”, finaliza o hospital, em nota.

Nesta segunda-feira, a taxa de ocupação nos leitos públicos de UTI é de 100%.

+

Saúde