Unimed Chapecó realiza cirurgia inédita no Oeste de SC

O procedimento de oclusão do apêndice atrial é complexo e já vem sendo feito no Brasil há alguns anos, porém foi feito pela primeira vez na região

O hospital da Unimed Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, fez uma cirurgia inédita na região. Pela primeira vez realizou procedimento “Oclusão do apêndice atrial esquerdo”, que consiste em um tratamento alternativo para a fibrilação atrial.

O médico cardiologista e eletrofisiologista, Alexander Dal Forno, explica que a doença ocasiona a formação de coágulos no interior do coração e pode gerar grandes complicações, como a isquemia cerebral.

Hospital Unimed Chapecó promoveu procedimento inédito. – Foto: MB Comunicação/Divulgação/NDHospital Unimed Chapecó promoveu procedimento inédito. – Foto: MB Comunicação/Divulgação/ND

De acordo com a Unimed, o procedimento é complexo e já vem sendo feito no Brasil há alguns anos. Para sua realização, é necessário um laboratório de hemodinâmica e uma equipe treinada e capaz de inserir uma prótese para fechar o apêndice atrial esquerdo do paciente, sob a anestesia geral e por apenas um pequeno orifício pela veia da virilha.

Esta prótese impede que os coágulos que se formam dentro do apêndice atrial esquerdo alcancem a circulação da pessoa e, assim, previna a isquemia cerebral.

Equipe preparada

Participou do procedimento como orientador o médico cardiologista intervencionista Dr. Marcos Giuliano, trazendo sua expertise para auxiliar na cirurgia.

Equipe responsável pelo procedimento na Unimed Chapecó. – Foto: MB Comunicação/Unimed/Divulgação/NDEquipe responsável pelo procedimento na Unimed Chapecó. – Foto: MB Comunicação/Unimed/Divulgação/ND

O médico cardiologista intervencionista Dr. Julio Roberto Barbiero, um dos envolvidos no procedimento, esclareceu que a Unimed Chapecó sempre buscou oferecer aos pacientes o que eles precisam para preservar a vida.

“Investimos em tecnologia e em treinamento pessoal para dispor todas as alternativas possíveis aos nossos pacientes. Isso é fundamental para que possamos chegar nesse nível de complexidade. Fazer o básico bem feito e também avançar nessas questões mais complexas. Isso é o que nos motiva a cada vez ter mais vontade de inovar”, afirmou.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde