Vacina chinesa apresenta 79% de eficácia contra a Covid-19

Aplicação do imunizante foi aprovada em duas doses para uso emergencial na China, Emirados Árabes e Bahrein

A vacina da empresa chinesa Sinopharm contra a Covid-19 mostrou eficácia de 79%, de acordo com resultados preliminares da fase 3 dos estudos.

No início de dezembro, o Ministério da Saúde e Prevenção dos Emirados Árabes Unidos, local em que a farmacêutica conduz a maior parte de sua fase final de testes, havia anunciado que o imunizante teria eficácia de 86%.

Vacinas contra a Covid-19 foram aprovadas no Bahrein, Emirados Árabes e China para uso emergencial e pode ser utilizado em massa – Foto: Lisa Ferdinando/Office of the Secretary of DefenVacinas contra a Covid-19 foram aprovadas no Bahrein, Emirados Árabes e China para uso emergencial e pode ser utilizado em massa – Foto: Lisa Ferdinando/Office of the Secretary of Defen

China, Emirados Árabes e Bahrein aprovaram a aplicação da vacina em duas doses para uso emergencial. O aval de Pequim para uso condicional significaria que o imunizante poderia ser usado em massa, mas a farmacêutica teria ainda de submeter seus dados finais nos estudos.

Apesar dos resultados inferiores, o imunizante chinês está dentro da margem estipulada por órgãos de saúde. Para proteger as pessoas contra o coronavírus, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o regulador da China afirmam que a vacina precisa ter mais de 50% de eficácia.

Para efeito de comparação, as vacinas desenvolvidas pela Moderna e pela Pfizer/BioNTech, já autorizadas nos Estados Unidos, apresentaram eficácia de 94% e 95% nos testes finais, respectivamente.

A China planeja vacinar até 50 milhões de pessoas antes do feriado do Ano Novo Lunar, com vacinas da Sinopharm e da Sinovac, segundo pessoas ligadas ao assunto.

+

Saúde