Com 173 mil doses aplicadas, vacinação contra Covid-19 em SC completa um mês

Dia 18 de janeiro, os primeiros moradores do Estado foram vacinados contra a Covid-19; Estado aguarda novas remessas para dar continuidade à imunização

O dia 18 de janeiro marcou o início do momento mais aguardado pelos catarinenses em meio à pandemia do novo coronavírus. Foi neste dia, uma segunda-feira, que os três primeiros moradores de Santa Catarina foram vacinados contra a Covid-19.

Nesta quina-feira (18) faz um mês que a vacinação contra Covid-19 iniciou em Santa Catarina – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom/Divulgação/NDNesta quina-feira (18) faz um mês que a vacinação contra Covid-19 iniciou em Santa Catarina – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom/Divulgação/ND

O ato simbólico ocorreu no Instituto de Cardiologia, em São José, na Grande Florianópolis. O primeiro imunizado foi o enfermeiro Júlio César Vasconcellos de Azevedo, que mora em Florianópolis. Dos seus 55 anos de vida, 28 foram dedicados ao Hospital Governador Celso Ramos.

Depois foi a vez de João de Jesus Cardoso, de 81 anos. Morador de uma instituição de longa permanência em São José, ele fez uma reza e recebeu a injeção. A terceira imunizada foi a gestora ambiental Kerexu Yxapyry, que lidera a terra indígena Morro dos Cavalos, em Palhoça.

Até esta quinta-feira (18), mais de 173 mil doses da vacina contra a Covid-19 já foram aplicadas em Santa Catarina. Um total de 124.942 já haviam tomado a primeira dose e, destas, 18.238 também já receberam a segunda.

Alterações no plano de vacinação

No começo da vacinação, o grupo prioritário no Estado englobava os trabalhadores da Saúde, pessoas acima de 75 anos, pessoas de 60 anos ou mais institucionalizadas e população indígena.

O primeiro plano estadual de vacinação contra Covid-19 foi divulgado pelo governo estadual em dezembro.

Uma segunda versão do plano foi elaborada e publicada nesta terça-feira (16) pela Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina). O documento amplia o público-alvo da campanha no Estado, com a inclusão de pessoas com deficiência grave, em situação de rua, presos e quilombolas nos grupos prioritários.

Além disso, também têm prioridade os profissionais do transporte coletivo, aéreo, caminhoneiros e trabalhadores portuários, de indústrias e da construção civil.

Vacinas começaram a ser distribuídas na manhã de 19 de janeiro aos municípios – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/SecomVacinas começaram a ser distribuídas na manhã de 19 de janeiro aos municípios – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom

A Secretaria de Estado da Saúde prevê vacinar contra a Covid-19, em 2021, um total de 2.898.763 pessoas, considerando apenas os grupos prioritários. Isso equivale a cerca de 40% da população catarinense.

A estimativa é 96.124 maior do que a prevista no primeiro plano estadual de vacinação.

De fases a grupos prioritários

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, Eduardo Macário, o primeiro plano nacional de vacinação falava em quatro fases. Agora, a vacinação prosseguirá conforme os 28 grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.

Contudo, para dar continuidade à imunização, o governo do Estado aguarda a chegada de novas doses da vacina.

De acordo com o superintendente do Ministério da Saúde em Santa Catarina, Rogério Ribeiro, o Estado vai receber um novo lote de vacinas contra a Covid-19 até a próxima terça-feira (23). A nova remessa será da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan.

Macário explica que essa nova remessa deverá vacinar idosos acima de 80 anos e dar seguimento à imunização dos trabalhadores da saúde. Conforme a vacinação for sendo concluída, novos grupos prioritários serão imunizados.

Interrupção da vacinação

Questionado sobre a interrupção da vacinação em municípios catarinenses, como ocorreu em Blumenau, o superintendente de Vigilância em Saúde diz que a última remessa recebida pelo Estado foi há cerca de 10 dias.

Sendo assim, as doses para a primeira aplicação da vacina estão praticamente esgotadas.

Aldo Gonçalves, 98 anos, primeiro imunizado em Blumenau com mais de 90 anos – Foto: Talita Catie/NDAldo Gonçalves, 98 anos, primeiro imunizado em Blumenau com mais de 90 anos – Foto: Talita Catie/ND

No que diz respeito à inclusão de novos grupos para a vacinação, Macário diz que espera concluir a imunização dos grupos prioritários previstos no plano estadual. A partir daí, com a aquisição de novas doses, outras populações poderão ser vacinadas.

Variantes do coronavírus

Até esta quinta-feira, Santa Catarina conta com quatro casos confirmados da nova variante do novo coronavírus. Eduardo Macário ressalta que os quatro casos são importados, ou seja, as pessoas foram infectadas fora do Estado.

“Não temos evidência de transmissão comunitária. Mesmo com pacientes vindos de Manaus (AM), até o momento, toda a parte de biossegurança e proteção feita nas unidades hospitalares se mostraram eficiente”, afirmou.

O superintendente também reforçou que todas as regiões catarinenses estão sendo monitoradas com relação à nova variante. Ele lembra ainda que não existe comprovação de que as vacinas aprovadas perdem a eficácia perante as novas linhagens.

Desafios da vacinação

“Nunca trabalhamos com uma campanha de vacinação com tão poucas doses. Isso é um grande desafio”, afirma Eduardo Macário. Segundo ele, outras campanhas de vacinação contam com grandes quantitativos, o que possibilita vacinar de 100 a 200 mil pessoas em único dia e promover o chamado Dia D.

Profissionais do Samu também foram vacinados – Foto: Gabriela Milanezi / NDTV BlumenauProfissionais do Samu também foram vacinados – Foto: Gabriela Milanezi / NDTV Blumenau

Não é o caso da campanha de vacinação contra a Covid-19. Macário explica que como não há doses suficientes, a vacinação se restringe aos grupos prioritários. Ainda assim, ele avalia que o SUS catarinense e o programa estadual de vacinação estão no caminho certo.

“A população e os profissionais estão engajados e dispostos a promover uma boa vacinação. Isso mostra que, assim que tivermos vacinas em quantidades suficientes, vai ser um sucesso. Não tenho dúvida de que Santa Catarina vai atingir as metas preconizadas e reverter os altos índices de casos ativos”, projeta.

+

Saúde