Veja quais cidades do Vale do Itajaí podem ter aplicado vacina vencida contra a Covid-19

Ao menos oito municípios do Médio e Alto Vale do Itajaí teriam aplicado doses fora do prazo de validade, conforme dados do Ministério da Saúde; prefeituras questionam levantamento

Ao menos oito cidades do Médio e do Alto Vale do Itajaí constam na relação de municípios brasileiros que teriam aplicado vacinas contra a Covid-19 fora do prazo de validade.

O levantamento foi divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo em uma reportagem nacional nesta sexta-feira (2) com dados que estão registrados no Ministério da Saúde.

Central de Vacinação da Covid-19 em Blumenau – Foto: Divulgação/Eraldo Schnaider/Prefeitura de BlumenauCentral de Vacinação da Covid-19 em Blumenau – Foto: Divulgação/Eraldo Schnaider/Prefeitura de Blumenau

Em Santa Catarina, 49 municípios teriam aplicado as doses que fazem parte de lotes cujo prazo de validade já havia expirado quando as doses foram fornecidas aos cidadãos.

Na lista catarinense aparecem oito cidades do Médio e do Alto Vale: Blumenau, com duas doses, além de Benedito Novo, Brusque, Gaspar, Pouso Redondo,  Rio do Campo, Trombudo Central e Rio do Sul, todas com uma dose que teria sido aplicada após o vencimento.

O que dizem as prefeituras

Blumenau – duas doses

A prefeitura informou por meio de nota que não há registro de vacinas recebidas fora do prazo de validade na cidade e que os imunizantes citados na relação foram recebidos em 28 de janeiro e aplicados entre 29 de janeiro e 10 de fevereiro.

A nota também informa que houve um erro na digitação da data de aplicação, o que causou o equívoco, e que o erro já foi corrigido. Confira abaixo anota na íntegra:

“Nota de Esclarecimento

A Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus), esclarece que desde o início do processo de vacinação, até o presente momento, não há registro na cidade de recebimento de doses de vacina contra o Coronavírus que estejam fora do prazo de validade.

O Município esclarece que o lote do imunizante citado na reportagem jornalística, da marca AstraZeneca, foi recebido em 28 de janeiro de 2021. As doses da vacina deste mesmo lote foram aplicadas entre 29 de janeiro e 10 de fevereiro, dentro do prazo de validade.

Assim, as únicas duas doses que constam na relação do Ministério da Saúde (MS) como aplicadas após o vencimento estavam dentro do prazo de validade, sendo constatado que o lapso ocorrido foi a digitação da data da aplicação, fora do prazo. Ambas as vacinas faziam parte da primeira remessa de imunizantes da marca recebida no município.

O poder público reitera que todas as 2.490 doses do mesmo fabricante, contidas no referido lote, foram aplicadas dentro do prazo de validade, as correções necessárias foram efetuadas e inclusive já não constam mais no site do qual as informações da veiculação foram extraídas”. 

Brusque – uma dose

A prefeitura de Brusque informou que, assim que tomou conhecimento da situação, fez a verificação das doses da farmacêutica Astrazeneca usadas na cidade e identificou um erro de registro no sistema de distribuição de insumos do Estado, que não é administrado pela prefeitura.

Conforme a nota, o erro foi repassado à Câmara Técnica de Vigilância Epidemiológica do Estado para ser corrigido. Leia a manifestação da prefeitura na íntegra:

“Nota Oficial da Secretaria de Saúde de Brusque

Acerca da informação divulgada na mídia nesta sexta-feira (02), sobre vacinas contra a Covid-19 da fabricante AstraZeneca que teriam sido aplicadas fora da data de validade, a Secretaria de Saúde de Brusque vem a público esclarecer que:

Tão logo a equipe técnica da Vigilância em Saúde tomou conhecimento da informação publicada pela imprensa, foi feita a verificação das doses da vacina AstraZeneca administradas na cidade;

Foi constatado que o único caso referenciado como sendo de aplicação de dose vencida, na verdade, tem vencimento para 31 de maio de 2022;

De imediato, a equipe técnica da cidade entrou em contato com a Câmara Técnica de Vigilância Epidemiológica do Estado, órgão que movimenta o SIES, que é o sistema de informação que gerencia a saída de insumos para as cidades de Santa Catarina, para comunicar o fato e solicitar a correção do dado inserido no sistema erroneamente;

Assim, a Câmara Técnica já está solicitando ao Governo do Estado a alteração da digitação no sistema SIES, para sanar esta falha;

Ressalte-se, portanto, que não houve vacinação de nenhum morador de Brusque com dose de imunizante vencido. O que na verdade ocorreu foi uma falha de digitação do dado no sistema de informações em instância superiores à cidade e nas quais, Brusque não tem poder de ingerência para a correção deste dado incorreto.”

Gaspar – uma dose

A prefeitura de Gaspar declarou que a informação veiculada pela Floha de S. Paulo não procede, destacando que o lote relacionado à cidade teria vencimento em abril, mas todas as doses foram aplicadas em fevereiro.

A nota da cidade também aponta que os frascos da Astrazeneca são multidose e que “não faria sentido haver apenas uma dose aplicada fora do vencimento”. Leia a nota abaixo:

“A Prefeitura de Gaspar, por meio da Secretaria de Saúde, informa que não procede a informação de qualquer pessoa tenha recebido vacina vencida. Informações divulgadas pela Folha de São Paulo alegam que Gaspar teria aplicado 1 dose do imuno AstraZeneca/FioCruz após o seu vencimento. De acordo com a publicação, o lote seria de número 4120Z005*, com vencimento em 14 de abril. A Secretaria Municipal de Saúde informa que todos os imunos deste lote foram aplicados antes do dia 15 de fevereiro. A Diretoria de Vigilância em Saúde ainda reforça a situação contraditória que aponta a reportagem: este lote de vacinas contabilizou 160 doses, sendo que todas foram aplicadas no mesmo dia, uma vez, assim que abertos os frascos, todas as doses são aplicadas, para evitar quaisquer desperdícios. Portanto, não faria sentido haver apenas uma dose aplicada fora do vencimento. Com isso, Gaspar afirma que não houve aplicação de vacina vencida na cidade.

A Prefeitura de Gaspar ainda reforça que todas as normas técnicas são aplicadas no recebimento, conservação e manuseio de medicamentos e vacinas. A equipe técnica da Secretaria de Saúde é extremamente cuidadosa na conferência da qualidade e das informações dos materiais recebidos. São auditados lotes, marcas, datas de vencimento, notas fiscais, entre outros. Todas as informações e dados são criteriosamente inseridos nos sistemas de saúde, tanto no municipal quanto nos Estaduais e Federais. Todos os dados podem ser acessados pela equipe para a devida consulta da equipe quando necessário.”

Rio do Sul – uma dose

A assessoria de imprensa não retornou o contato da reportagem até o fechamento desta publicação. O espaço está aberto e o texto será atualizado quando a prefeitura se pronunciar.

Pouso Redondo – uma dose

A enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica do município, Graciele Balsan, informou à reportagem do ND+ por telefone que a informação de que a cidade aplicou uma dose da vacina vencida não procede.

“A gente tem controle e não teve dose aplicada fora do prazo, eu desconheço essa informação. Temos controle da validade, não teve dose vencida e não foi desprezado nada por estar fora da validade”, declarou.

Rio do Campo – uma dose

O município de Rio do Campo informou que houve um erro na hora de registrar o número do lote da vacina. Quem respondeu à reportagem foi a vacinadora Andréia Vavassori Zanella e ela explicou que ocorreu um erro de digitação na hora de registrar o número do lote.

“A gente achou o erro, não foi aplicada nenhuma vacina vencida no município. O que aconteceu foi que na hora da digitação acabamos escolhendo o lote errado. Então não teve vacina vencida, somente o erro da digitação, mas já foi consertado e está tudo certo”, destacou.

Trombudo Central – uma dose

A reportagem do ND+ foi orientada a entrar em contato com o secretário de Saúde Alésio Jung portelefone no gabinete, mas ele não estava no local quando a equipe ligou e não retornou até o fechamento da publicação. O espaço está aberto e o texto será atualizado quando a prefeitura se pronunciar.

Benedito Novo – uma dose

A prefeitura de Benedito Novo divulgou uma nota após a publicação da reportagem. Segundo o município, todas as vacinas do referido lote foram aplicadas dentro da validade em trabalhadores de saúde, que eram o público alvo da época.

“A Prefeitura de Benedito Novo, através da Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social, com referência à notícia veiculada pelo jornal Folha de São Paulo, nesta sexta-feira (2), dando conta de informações sobre vacinas vencidas aplicadas na região do Médio Vale do Itajaí, informa:

Benedito Novo recebeu no dia 25 de janeiro de 2021, a quantidade de 50 (cinquenta) doses das vacinas da Fio Cruz/AstraZeneca, do lote 4120Z005, com validade de aplicação para 14 de abril de 2021;

Todas as vacinas constantes do referido lote foram aplicadas no Município dentro da validade do lote e na categoria de trabalhadores de saúde que eram o público da época no mês de Fevereiro;

No cartão de vacinação de cada usuário que foi vacinado constam o fabricante da vacina, o lote a que se refere, a validade, o dia da aplicação e a rubrica do profissional que aplicou a vacina.

Cada usuário que recebeu a vacina pode verificar na sua carteira de vacina ou verificar no aplicativo ConecteSUS com o seu login e CPF.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...