Vidas Salvas: População ajudou a reduzir a Covid-19 em Rio do Sul

Terceira reportagem da série Vidas Salvas - números e soluções na pandemia mostra a estratégia para conter a disseminação do novo coronavírus no município

Os números gerados pela pandemia de Covid-19 assustam. Divulgados diariamente, trazem quantidades de vítimas da doença, índice de desemprego provocado pela crise entre outros dígitos pouco animadores. Entretanto, há números positivos em meio a tantos problemas.

Cidade de Rio do Sul Vidas Salvas: População consciente ajudou a reduzir a Covid-19 em Rio do Sul – Foto: Reprodução/ND

Levantamento feito pelo Grupo ND mapeou cinco cidades onde o novo coronavírus não virou protagonista. Medidas tomadas pelas prefeituras dessas cidades frearam o avanço do contágio.

Na semana passada, o ND publicou a primeira reportagem da série Vidas Salvas – números e soluções na pandemia que contou a história de Porto Feliz (SP) onde o tratamento precoce é apontado como o motivo da pequena taxa de letalidade do município.  Agora, a experiência de Rio do Sul, no Vale do Itajaí, é relatada.

Localizada no Vale do Itajaí, a cidade de Rio do Sul apresenta uma das menores taxas de letalidade de Santa Catarina. O cálculo examina o número de mortes registradas a partir do número de casos confirmados.

Além das medidas sanitárias para evitar a contaminação e agilizar o atendimento para evitar o agravamento de casos, a consciência da população é destaque no município.

Nas ruas, o uso de máscaras é a regra. No comércio, os lojistas mantêm o cuidado permanente de limpeza e atenção ao cumprimento das regras.

O resultado foi a criação de uma atmosfera colaborativa que pode ter sido determinante para evitar a contaminação e salvar vidas.

Natan Molinari administra uma padaria no município. Ele diz que uma logística foi montada para garantir que o alimento fique livre de contaminação do vírus. Cada padeiro chega para trabalhar sabendo que o pão que alimenta centenas de famílias do bairro não pode virar foco de contaminação.

“A gente transforma a matéria-prima num alimento. Além dessa responsabilidade, tem um algo a mais que é cuidar da saúde do próximo onde a gente tá se adaptando em meio à pandemia”, diz.

André Livramento tem um serviço itinerante de massagem com foco em aliviar as dores e tensões do corpo. As massagens ocorrem dentro de um ônibus.

Mesmo numa atividade que envolve contato humano, ele diz que o atendimento não parou. Usa luvas, máscara e álcool. “Imagina se alguém vem a se contaminar aqui dentro do meu ônibus eu jamais ia me perdoar”, diz.

Sem lockdown

As medidas adotadas garantiram o controle da contaminação e funcionamento das atividades. O município conseguiu controlar a contaminação sem precisar fazer lockdown.

“Hoje nós escutamos de alguns empresários que foi o melhor faturamento da vida da empresa deles. Então, se a gente olhar desde agosto em diante, o faturamento das empresas tem melhorado bastante. Bastante recorde de produção, recorde de vendas e contratação de pessoas”, diz Jean Pedroso, que preside a Associação Empresarial de Rio do Sul.

As 5 cidades analisadas:

Além de Rio do Sul, foram analisadas as estratégias dos seguintes municípios:

  • Porto Feliz (SP): investiu diagnósticos e distribuição de medicamentos à população. Reportagem foi publicada na quarta (10).
  • Caçador (SC): desenvolveu ações de fiscalização conjunta para o cumprimento das regras sanitárias. Reportagem será publicada na sexta (19).
  • Guarapuava (PR): investiu em tecnologia para monitoramento de casos e coleta de dados para a tomada de decisão. Reportagem será publicada na quarta (24).
  • Santana do Livramento (RS): cidade de fronteira com forte movimento no comércio investiu no em serviços online para manter as vendas. Reportagem será publicada na sexta (26).
Mulher entrega pãoNos comércios da cidade, como padarias, os cuidados com higiene foram redobrados – Foto: Reprodução/ND

180 atendimentos em 12 horas

Na estratégia de saúde, as tendas do centro de triagem foram montadas ao lado da UPA (unidade de pronto atendimento). Os moradores seguem a orientação de procurar o local ao sentir qualquer sintoma de gripe.

“Quando necessário a gente abre um terceiro consultório para estar atendendo a população. Já chegamos aí no número de 180 atendimentos no período de 12 horas aqui na tenda”, diz a secretária de Saúde do município, Roberta Hochleitner.

A regra é agir rápido para não deixar os sintomas se agravarem. Assim, menos casos vão para internação.

Conforme dados da prefeitura, 24% da população foi testada para o novo coronavírus. Por trás de tantos testes está a orientação à população de procurar o centro de triagem em caso de qualquer sintoma de gripe.

Quem apresenta sintomas de Covid-19 faz o teste e recebe um atestado para ficar em casa enquanto aguarda o resultado. “A gente recebe o atestado de 7 a 10 dias, enquanto não sai o resultado do exame,”  diz o vigilante Tiago Errath que relatou sentir fraqueza, dor de cabeça e na garganta.

O industriário Thiarlisson Araújo já foi ao centro de triagem diversas vezes. Foram três testes. Com o último resultado em mãos, ele destacou que consciência e cuidados sanitários funcionam. “Todos nós no trabalho nos cuidamos muito. Estou muito feliz (com o resultado negativo do exame)”, afirma.

“A gente conseguiu mapear lugares do Rio do Sul, bairros onde tinha o maior número de casos para fazer as intervenções e com a isso a gente conseguiu cada vez reduzir mais”, disse Ricardo Claudino Ribeiro, chefe da equipe médica de Rio do Sul,

Mapeamento estratégico

O chefe da equipe médica de Rio do Sul, Ricardo Claudino Ribeiro, diz que o diagnóstico rápido combinado com a orientação para as pessoas procurarem o centro de triagem em caso de qualquer sintoma e a agilidade no atendimento foram as peças centrais da estratégia do município.

“A gente conseguiu mapear lugares do Rio do Sul, bairros onde tinha o maior número de casos para fazer as intervenções e com a isso a gente conseguiu cada vez reduzir mais”, diz.

Ribeiro diz que essas ações combinadas com a atuação focada nos locais de maior contaminação ajudaram a salvar vidas. “É claro que a gente teve alguns picos, como em todos os municípios de Santa Catarina, mas conseguimos manter uma taxa de letalidade baixa.”

Acesse e receba notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde