A Polícia Militar dever olhar com atenção redobrada para a ronda escolar

Alunos estão sendo assaltados no caminho da escola para casa. Os ataques ocorrem com mais frequência na rua Almirante Lamego, Centro

Ronda escolar
Como acontecem todos os inícios de anos, os assaltos a estudantes depois da aula no caminho para casa vêm atormentando a vida de pais e de mães, que,  de acordo com os filhos, dizem que os assaltantes são adolescentes entre 16 e 17 anos. Os ataques ocorrem a duas ou a três quadras do colégio.  Os depoimentos dos pais são praticamente os mesmos: “mandaram o meu filho entregar, celular, corrente de ouro,  relógio e não olhar para trás”. Nas DPs da Capital há várias mães reclamando da falta de segurança na saída de colégios. Márcia, por exemplo, diz que trombadinhas armados de canivete levaram a mochila do filho na rua Almirante Lamego. Ali perto, na transversal da Duarte Schutel, também ocorrem ataques. Não se pode dizer que os assaltos estão aumentando a cada dia, mas a PM deve olhar com atenção redobrada para ronda a escolar, como sempre fez, evitando que estas ocorrências se alastrem pelo centro.

Pessoal
Paulo ficou injuriado e indignado com um coordenador de estagiários de uma casa de saúde da Capital que vetou o seu cadastro de proposta de emprego. O motivo foi o furto em um hospital da cidade onde ambos trabalhavam. Paulo nega o furto, disse que tem ficha limpa na polícia e afirmou que vai processar o coordenador por calúnia e difamação. Ele acha que o prevaleceu o lado pessoal

Roubo no Centro
Ladrões da madrugada atacaram uma confeitaria no Centro. Eles entraram pela janela lateral e ficaram muito à vontade dentro do estabelecimento comercial sem ser incomodado pela polícia. O proprietário registrou boletim de ocorrência na 1ª DP e disse que foram roubados microsystem, um celular e outros objetos. Ele acrescentou no b.o. que não chamou a perícia porque não preservou a cena do crime. Foi obrigado a consertar a janela para dormir.

Injúria
A dona de casa Jaqueline foi, desesperadamente, à polícia pedir ajuda. Ela implorou para o policial de plantão tentar descobrir quem é a mulher que telefona para ela  comparando-a com uma protistuta. Jaqueline disse que de uma semana para cá as ligações para o seu celular vêm acontecendo com mais frequência, sempre depois da novela. Jaqueline reclamou que até o marido tem sido insultado. Depois de ouvi-la atentamente, o policial deu uma dica: troque o chip do celular.

Diarista
A diarista Ada começou mal a semana. Quando desceu do ônibus para o trabalho, o motorista parou fora do ponto. Justamente na frente de um homem que surgiu da esquina. O suspeito perguntou se Ada o reconhecia. Certamente com o pretexto de roubá-la. Ada disse que não e foi surpreendida com  um safanão no  pescoço  pelo fio desencapado que furtou o cordão de ouro e saiu correndo pela mesma esquina em que ele surgiu de repente.  Ao chegar no trabalho ela contou para a patroa que aconselhou dar queixa na polícia.

Vacilo
Já alertei várias vezes e vou dar mais uma alerta: nunca deixa bolsa, celular, ipad, ou  outro objeto de valor sobre o balcão enquanto olha o mostruário de produtos. Apoiam-se no balcão quem vai às compras e quem passa ali com a cabeça cheia de malícia. Um desses istepôs que ficou próximo a Angélica surrupiou o celular enquanto ela experimentava o perfume importado “Celebration of Happiness”, da Hugo Boss.

Frase:
“O sistema de videomonitoramento caracteriza-se como um meio eficaz para a prevenção, repressão e investigação dos delitos. Florianópolis possui hoje 188 câmeras e ao final do projeto de instalação, previsto para setembro, terá 290 equipamentos”, César Grubba, secretário da SSP.