Festas e aglomerações serão monitoradas por voluntários treinados em Florianópolis

Prefeitura da Capital vai capacitar voluntários para pesquisarem, reunirem provas e denunciarem atividades ilegais e perigosas em relação à transmissão do coronavírus

Festas clandestinas, aglomerações e o não uso de máscaras passarão a ser monitorados e denunciados por voluntários capacitados e treinados pela prefeitura em Florianópolis.

Projeto “Ixpia Floripa” visa ampliar a fiscalização de aglomerações na Capital – Foto: Anderson Coelho/NDProjeto “Ixpia Floripa” visa ampliar a fiscalização de aglomerações na Capital – Foto: Anderson Coelho/ND

Através do projeto “Ixpia Floripa”, que visa ampliar a fiscalização na Capital catarinense, por meio da rede solidária Somar Floripa e da Secretaria Municipal de Segurança Pública, os participantes serão divididos em turnos e utilizarão ferramentas de busca online para identificar atividades ilegais e a não utilização de máscaras em estabelecimentos.

Segundo a prefeitura, o processo será estruturado de forma a  proteger a identidade dos voluntários, que serão identificados com codinomes.

Os participantes que detectarem uma infração não farão nenhuma intervenção, mas irão reunir o máximo de informações, como fotos, vídeos e endereços, e encaminhar à fiscalização da Secretaria de Segurança Pública.

“Vemos que muitos cidadãos do município se preocupam com o não cumprimento das medidas protetivas e gostariam de denunciar. Essa colaboração voluntária será muito importante para conter as atividades ilegais. Quanto mais olhos vigilantes, melhor”, explica o Coronel Araújo Gomes, secretário de Segurança Pública do município.

“Interessados em voluntariar no projeto podem se inscrever diretamente no site somarfloripa.com ou entrar em contato pelo WhatsApp (48) 98441-0217”, informou a prefeitura.

Aglomerações

A cidade registrou aglomerações nas praias e em estabelecimentos nas últimas semanas. Nas primeiras horas do lockdown decretado pelo governo estadual, no dia 26 de fevereiro, uma força-tarefa fechou bares e outros estabelecimentos que permaneceram abertos além do horário permitido.

Imagens na internet também mostraram uma grande quantidade de pessoas desrespeitando as normas de distanciamento social e o uso de máscaras em pelo menos um hotel, em Florianópolis. Após a GMF (Guarda Municipal de Florianópolis) dispersar a multidão, o resort garantiu que se adequou ao decreto estadual.

Medidas restritivas em SC

Dois decretos com medidas restritivas estão em vigor em Santa Catarina no momento. Durante a semana, conforme o Decreto 1.168, casas noturnas e de espetáculo estão proibidas de funcionar em todos os níveis de risco, assim como a venda e o consumo de bebidas alcoólicas em postos de combustível e lojas de conveniência.

Outras atividades, como transporte coletivo, igrejas, academias, shoppings e restaurantes, funcionam com limites de horário e de ocupação. A utilização de faixas de areia de praias, parques, praças, jardins botânicos, balneários e demais espaços públicos só é permitida sem aglomeração.

Já no fim de semana, um lockdown de dois dias é posto em prática no território catarinense. O Decreto 1.172 suspende o funcionamento de serviços não essenciais das 23h de sexta até às 6h de segunda-feira, entre eles o comércio de rua, eventos sociais e salões de beleza.

Continua proibida a aglomeração de pessoas em qualquer ambiente, seja interno ou externo, em cumprimento às regras sanitárias emitidas pela SES (Secretaria de Estado da Saúde).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Segurança