Ameaças motivaram assassinato e tentativa de homicídio em Chapecó, diz polícia

Crimes aconteceram em março deste ano no bairro Passo dos Fortes

Dois homens foram indiciados pela Polícia Civil de Chapecó, por homicídio e tentativa de homicídio que aconteceram em março deste ano no bairro Passo dos Fortes. Os inquéritos foram apresentados à Justiça nesta semana e apenas um suspeito foi preso. 

De acordo com a DIC (Divisão de Investigação Criminal), Kelson Cleber Rodrigues, de 25 anos, foi morto por vingança pelo atirador, apontando ser um rapaz de 23 anos, que estava em um Renault/Sandero, preto. 

O delegado Vagner Tiago Papini explicou que o suspeito de atirar prestou depoimento por uma hora e confessou os crimes. “Ele disse: fui eu quem pratiquei os dois crimes”, lembra. No entanto, à época, ele foi liberado, pois não foi configurado flagrante. 

Inquéritos já foram remetidos ao Poder Judiciário – Foto: Willian Ricardo/NDInquéritos já foram remetidos ao Poder Judiciário – Foto: Willian Ricardo/ND

Kelson foi morto às 5h20 de 7 de março, com dois disparos de um revólver calibre 32 que acertaram a cabeça e o tórax dele, na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Passo dos Fortes. Depois do crime, segundo o delegado, o suspeito se escondeu no sítio de familiares, na linha Caravágio, no interior de Chapecó. A arma foi dispensada no caminho.  

Após se esconder, conforme o delegado, o suspeito retornou a cidade, buscou um revólver calibre 38 na casa da mãe dele e tentou fugir do município. Contudo, no caminho encontrou alguns amigos de Kelson. 

O suspeito disse à polícia que os amigos da vítima deram vários tiros e arremessaram um paver contra seu carro, por isso revidou com disparos que acertaram um rapaz de 20 anos.

Entretanto, essa versão foi descartada pela polícia por meio de exames periciais no carro que não apresentava marcas. “Essa tese foi criada para tentar justificar a tentativa de homicídio”, detalhou Papini.

Delegado Vagner Papini comanda as investigações em Chapecó- Foto: Willian Ricardo/NDDelegado Vagner Papini comanda as investigações em Chapecó- Foto: Willian Ricardo/ND

Novamente, de acordo com o delegado, o suspeito fugiu com o Sandero, mas no caminho colidiu com um VW/Gol, abandonou o carro e desapareceu. No episódio, a Polícia Militar recolheu o carro conveniado. “Ele se escondeu em uma casa nas proximidades, ligou para um amigo que estava em uma festa, que teria proporcionado a fuga com um veículo Jetta, branco”, disse Papini. 

Motivação 

O delegado afirmou que o suspeito dos disparos alegou que sofria ameaças de Kelson, que seria integrante de uma facção criminosa. 

“Buscando se defender dessas ameaças, ele teria feito os disparos de arma de fogo. O outro, também por ser amigo de Kelson, acabou alvejado”, concluiu.  Apenas o suspeito de ter dado carona está preso. Já o rapaz apontado como autor dos disparos segue foragido. 

A polícia acredita que a dupla já estava junto no momento do homicídio de Kelson, por isso os dois foram indiciados por homicídio, tentativa de homicídio e porte ilegal de arma de fogo. 

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...