Apartamento de jovem de SC em Israel é destruído por míssil

Victoria Lorenzetti Vidal e Higor Vidal viveram momentos de terror e precisaram se refugiar para não serem atingidos

Em meio ao conflito entre Israel e Palestina – que já resultou em cerca de 90 mortes e 487 feridos desde segunda-feira (10) -, a jovem de Santa Catarina Victoria Lorenzetti Vidal, de 22 anos, e o marido Higor Felipe Vidal, de 24 anos, viveram momentos de terror nos últimos dias.

O apartamento que o casal morava em Petah Tikva, próximo ao aeroporto de Tel Aviv, em Israel, foi atingido por um míssil e ficou destruído.

Local em que o míssil caiu. – Foto: Arquivo Pessoal/ReproduçãoLocal em que o míssil caiu. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

A jovem, natural de São José, e o marido, moravam em Israel há quase um ano. Higor é jogador de futebol e foi contratado pelo time Zalgiris. O pai de Victoria, Leandro Lorenzetti, é pastor na cidade de Concórdia, no Oeste catarinense, e relatou os momentos de tensão vividos pela filha e o genro.

“O míssil caiu e explodiu no prédio onde estavam minha filha e meu genro. Mesmo o primeiro piso estando em chamas, onde eles estavam, o gás não explodiu. Mesmo com tudo destroçado pelos estilhaços, metais e vidros, minha família está segura! Um milagre de Deus”, escreveu em uma rede social.

Momentos de tensão

Em conversa com a reportagem do ND+, Lorenzetti relatou os momentos de angústia vividos tanto em Israel como no Brasil, em decorrência da falta de informações.

“A região que eles moravam é tradicionalmente tranquila. Mesmo sabendo que é uma região que vive em constantes conflitos, jamais imaginamos que isso ia acontecer tão perto deles. Se houvesse alguém na cozinha ou na sala não teria como escapar”.

Ele conta que foram cerca de 48 horas de angústia. Em 20 horas foram lançados cerca de 1.050 mísseis e, de Norte a Sul, não havia lugar onde não se ouvisse sirenes tocando para avisar sobre os ataques. Lorenzetti estava na igreja quando recebeu a informação de que o apartamento da filha havia sido atingido.

Veja como ficou o apartamento:

“Foram minutos de muita dor para saber se eles estavam bem, mas graças a Deus nem ela, nem meu genro e nem o bebê sofreram nada. O míssil os atingiu a menos de 30 metros”, contou.

Assim que soube o que o casal estava passando em Israel, o deputado estadual de Santa Catarina Jair Miotto interviu junto ao Ministério de Direitos Humanos e prontamente a ministra Damares Alves entrou em contato com Victoria, ainda no hospital em Israel, e se colocou à disposição para ajudá-los.

Casal se refugiou em um quarto blindado

As sirenes que anunciavam os ataques não cessavam e para se proteger o casal se refugiou em um bunker, uma espécie de quarto blindado. “Quando toca a sirene as pessoas têm cerca de um minuto e meio para entrar no bunker e se em dez minutos as sirenes não tocarem novamente podem sair. Porém, as sirenes tocaram direto e eles ficaram no bunker um bom tempo”, explicou o pai de Victoria.

De acordo com Lorenzetti, o bunker é usado em casos extremos de ataque. Em quase um ano em Israel essa foi a única vez que o casal entrou no bunker. No local havia um roupeiro com alguns utensílios, água, roupas reservas e um colchão.

Casal registrou estragos em apartamentos da região. - Arquivo Pessoal/Reprodução
1 3

Casal registrou estragos em apartamentos da região. - Arquivo Pessoal/Reprodução

Apartamento ficou destruído. - Arquivo Pessoal/Reprodução
2 3

Apartamento ficou destruído. - Arquivo Pessoal/Reprodução

A cozinha do apartamento foi totalmente danificada. - Arquivo Pessoal/Reprodução
3 3

A cozinha do apartamento foi totalmente danificada. - Arquivo Pessoal/Reprodução

“Não houve nenhuma morte no ataque nesse região porque todos os prédios tem bunker. Se houvesse alguém fora do bunker no momento que os mísseis foram lançados haveria mais de 50 mortes”.

Após viver momentos de tensão, Victoria, que está grávida de 5 meses, e Higor foram resgatados e encaminhados a um hospital, onde entraram em contato com os familiares no Brasil. “Nosso maior desespero era para que eles viessem logo embora. Os dois estão em estado de choque, ainda nem entenderam direito o que estão vivendo”, disse Lorenzetti.

A volta ao Brasil

O casal conseguiu embarcar para o Brasil por volta das 14h desta quinta-feira (13). A preocupação da família era que o voo não decolasse em decorrência dos ataques. O voo fará escala em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes e deve chegar a São Paulo no sábado pela manhã. Em solo brasileiro, eles se deslocarão até Curitiba, onde encontrarão com os familiares.

Além de Victoria e Higor, muitos brasileiros vivem nas regiões que estão sendo atacadas. Lorenzetti classificou o sentimento como impotência por não poder fazer nada.

Após a chegada ao Brasil, a expectativa é de que o casal fique na região de Curitiba, onde mora a família de Higor, por alguns dias. Depois, devem voltar para Concórdia, onde o filho do casal deve nascer.

Assista o relato do casal ainda no hospital:

Entenda a situação

Ataques aéreos entre Israel e Palestina iniciaram nesta semana. O movimento islamita Hamas afirmou na terça-feira (11) ter disparado 130 foguetes contra a cidade israelense de Tel Aviv, onde soaram alertas antiaéreos.

O ataque maciço foi resposta à destruição por Israel de um prédio de 12 andares em Gaza no qual dirigentes do movimento armado tinham escritórios.

O número total de palestinos mortos nos bombardeios israelenses nos últimos dias em Gaza subiu para 83, anunciou nesta quinta-feira (13) o ministério da Saúde da Faixa, governada pelo movimento islamita Hamas. Em Israel, ao menos 7 pessoas morreram. Com isso, o total chega a ao menos 90 mortos por causa dos confrontos.

Entre as vítimas do lado Palestino, estão 17 menores de idade. Os ataques também deixaram 487 feridos, de acordo com o ministério. Do lado israelense foram reportadas ao menos 7 vítimas fatais. Um soldado morreu no disparo de um míssil antitanques e um menino de 6 anos após a explosão de um projétil em Sederot.

Fontes militares de Israel afirmaram que o país bombardeou Gaza mais de 600 vezes desde segunda-feira. Os movimentos palestinos lançaram, a partir da Faixa de Gaza, mais de 1.600 foguetes contra o território israelense.

Com colaboração do R7. 

+

Segurança