PM destaca sete policiais, num espaço de 100 metros, para multar em Palhoça

Soldado motociclista que abordava os motoristas infratores, ficava escondido atrás de um muro. Em dez minutos cinco notificações

Divulgação/ND

Motociclista PM, sai do esconderijo, sem ligar o giroflex da moto para multar quem trafega na contramão 

“Operação arrecadação”
Num espaço de 100 metros, da rua Najla Carone Goerdet, próximo ao Fórum de Palhoça, sete policiais militares multavam quem trafegava na contramão, ontem de manhã.  Segundo os PMs que abordavam os motoristas infratores, a alteração no trânsito foi processada há cerca de sessenta dias.  Aparentemente, os PMs aplicavam a lei de trânsito. No entanto, o que deixou a maioria dos motoristas desconfiada era a forma como foi montada a “Operação Arrecadação”.  Um motociclista PM, cuja numeração da moto é 1892, ficava  na lateral do muro de um edifícação e quando constatava motoristas na contramão, saia do esconderijo, sem acionar o giroflex da moto e mandava os condutores  estacionarem e se dirigirem com a documentação do carro para um uma Van, também escondida  (ela deveria estar na pista de rolamento), onde era confeccionado a multa. Somente não estava escondido o caminhão guincho por que era muito grande. Enquanto a  PM destaca sete policiais para multar, num espaço reduzido, ela deixa a cidade desprovida de policiamento ostensivo. Em cerca dez minutos, período em que a reportagem permaneceu  no local, a PM notificou cinco motoristas.

Assalto
Um homem armado de pistola invadiu um bar na rua Augusto Paulo Durkop, no Centro de São João Batista, no Vale do Rio Tijucas, distante 76 quilômetros de Florianópolis e após render o dono do estabelecimento comercial roubou R$ 3 mil do caixa, além de saquear objetos pessoais dos fregueses. Testemunhas contaram que o ladrão fugiu na garupa de uma motocicleta pilotada por um comparsa que o aguardava nas proximidades. A Polícia Militar foi chamada, fez buscas na região, mas não obteve êxito.

Sem noção
Policiais rodoviários federais atenderam ocorrência atípica na BR-116, em Rio Negro, quase na divisa com Paraná. Ao perceber um caminhão estacionado na contramão, os patrulheiros foram até a cabine do veículo e perceberam que o caminhoneiro estava desacordado. O motorista foi despertado e submetido ao teste de bafômetro. O resultado foi 1,13mg de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões, considerado embriaguez. O veículo foi recolhido e o motorista  multado e preso em flagrante.

Na bronca
Gisele, proprietária de um bar localizado numa das galerias mais famosas de Florianópolis, foi à polícia reclamar de um homem moreno e mal vestido que sempre entra no estabelecimento comercial somente para assistir televisão. Na última vez, ele trouxe uma garrafa de bebida e se posicionou na frente do caixa. A comerciante ressaltou no boletim de ocorrência, que a zeladora do prédio deveria estar mais presente para proibir personas non grata no ambiente comercial.

Salto alto
Durante aula de um curso profissionalizante em Florianópolis, Márcia foi agredida com um soco no rosto desferido por Ângela. A agressão ocorreu durante um bate-boca no recreio, quando Ângela teria chamado Márcia de “sapata”. Márcia saiu da aula e foi direto na 1ª DP da Capital registrar boletim de ocorrência. Ela disse que em outra ocasião, o marido de Ângela lhe agrediu sem motivo aparente. O casal agressor deve ser intimado para explicar porque vem perseguindo Márcia.

Desatenção
Tainara reclamou do furto de sua bolsa num fast food, no centro de Florianópolis. Ela estava com amigas lanchando e sentiu vontade de ir ao banheiro. Contou que deixou a bolsa nas costas da cadeira e quando retornou não encontrou mais o pertence. Tainara reclamou na gerência do estabelecimento e pediu para ver as câmeras, mas não obteve êxito. Então, ela passou na polícia e disse que o suspeito levou todos os documentos pessoais, inclusive cartões bancários e a chave da casa.

Assalto
Anelise foi mais uma vítima de ladrões de carros em Florianópolis. Ela reclamou na 1ª DP que estava ao volante do Citröen C3 no estacionamento da avenida Beira-Mar, no Centro, por volta das 20h30, quando um suspeito bateu com a coronha da arma no vidro e anunciou o assalto. O bandido roubou o carro e deixou a vendedora Anelise a pé. O assalto a mão armada foi presenciado por várias testemunhas.  Ela contou que no porta-luvas do carro havia todos os cadastros dos clientes.

Loading...