Boleto falso? Confira 7 dicas para evitar cair no golpe 

Verificar autenticidade da dívida, código do banco e do cedente e conferir os dados pessoais são algumas dicas elaborados pelo Procon

O avanço da internet facilitou a realização de ações financeiras de forma online, mas também aumentou a emissão de boletos falsos e atuação de golpistas e estelionatários, o que gera prejuízos aos consumidores.

Procon de Criciúma alerta para golpe do boleto falso – Foto: Reprodução/NDProcon de Criciúma alerta para golpe do boleto falso – Foto: Reprodução/ND

O Procon de Criciúma elaborou sete dicas para evitar que as pessoas caiam em golpes de boletos falsos. De acordo com o coordenador do órgão de proteção ao consumidor, Gustavo Colle, o número de reclamações sobre o assunto tem aumentado no Procon.

“Hoje, você consegue fazer praticamente tudo sem sair do conforto da sua casa, e com isso também aumentou o número de golpes, principalmente na falsificação de boletos. A gente resolveu elaborar essas dicas para facilitar a identificação desses boletos”, frisou.

Confira as dicas

A primeira dica é que os consumidores tenham cuidado no recebimento de ligações, entrada de sites e e-mails. O coordenador explica que os golpistas podem utilizar e-mails similares de empresas consolidadas no mercado.

O consumidor precisa verificar o remetente de ligações ou e-mails, sendo a menor suspeita de fraude, não prosseguir com o contato ou solicitação de emissão de boleto. O consumidor deve ficar atento ao acessar algum site, já que pode ter a invasão do dispositivo eletrônico e ter alteração de dados pessoais.

A segunda dica é verificar autenticidade da dívida. Não reconhecer o consumidor, o emitente do boleto é um indicativo de fraude. É recomendado que a pessoa entre em contate com o fornecedor e questione se a dívida foi cedida.

Já a terceira orientação é verificar o código do banco e do cedente. Por exemplo, cada boleto é emitido por uma instituição financeira. O consumidor pode verificar autenticidade do boleto no Banco Central e se as transações envolverem, entre si, pessoas físicas e jurídicas, podem ser verificadas pelo código do cedente, que é número da conta-corrente.

A quarta recomendação é que a pessoa e certifique do valor exposto no boleto. O valor aparece em dois locais diferentes, caso perceba diferença de um dígito já é um indicativo de boleto falso.

A quinta dica é verificar os dados pessoais, em algumas fraudes o boleto nem inclui seus dados pessoais, e caso tenha, observe se as suas informações pessoais estão corretas.

Além disso, a sexta dica é observar o CNPJ do emissor também é uma cautela a ser tomada. Compare o número do CNPJ com uma nota ou cupom fiscal. Caso perceba diferença entre os números, entre em contato com o emissor.

A última dica é prestar atenção em erros de português, como no nome da instituição, do emissor ou seu nome.

Quem for vítima do golpe do boleto falso deve acionar a Delegacia da Polícia Civil para registro de boletim de ocorrência, pois se trata de um crime de consumo, e o Procon não consegue fazer esse tipo de investigação.

+

Segurança