Bombeiro de Joinville é morto a facadas em circunstâncias misteriosas no Paraná

Crime ocorreu na madrugada de segunda-feira (14), em Guaratuba; adolescente de 17 anos, principal suspeito do crime, foi apreendido em Curitiba

Um bombeiro aposentado que morava em Joinville, no Norte de Santa Catarina, foi morto a facadas em Guaratuba, no Litoral do Paraná. O corpo de Clésio Maximiano Torres, de 52 anos, foi encontrado na madrugada desta segunda-feira (14).

Um adolescente de 17 anos, suspeito pelo crime, foi apreendido. Segundo a Polícia Civil, a vítima teria ido até a cidade litorânea onde possui uma casa para passar o fim de semana.

Clésio foi assassinado a facadas por um adolescente no Paraná – Foto: Redes Sociais

Na noite anterior, ele teria conhecido duas mulheres – mãe e filha -, que o convidaram para ir até a casa delas com o intuito de ouvir música e conversar. No local também morava o adolescente.

Ainda de acordo com a polícia, em certo momento, Clésio deu dinheiro ao suspeito para comprar cigarros. Porém, o jovem teria voltado à casa com drogas.

Ao investigar o crime, os policiais apuraram que uma das mulheres foi até o banheiro para usar entorpecentes. Enquanto isso, a filha teria ido ao quarto, deixando o adolescente e a vítima sozinhos na sala.

Leia também:

Neste momento, a filha da mulher relatou aos policiais que ouviu gritos e, quando chegou à sala, viu o adolescente golpeando o bombeiro com uma faca de cozinha. Os golpes atingiram o tórax e o pescoço da vítima.

Fuga após o crime

Após cometer o crime, o adolescente ainda teria trancado as duas mulheres na casa. Na sequência, teria recolhido o dinheiro e o carro de Clésio, e fugido em direção a Curitiba.

Mãe e filha conseguiram sair do local e acionaram a polícia, que com o apoio de guarnição de Curitiba, rastreou o carro e apreendeu o adolescente, junto com outros quatro homens. A suspeita é que durante a fuga, ele teria também cometido outros delitos.

Ainda segundo a Polícia Civil, o adolescente é natural de Joinville e morava há pouco tempo na região. Além disso, ele já possui 47 ilícitos criminais.

Após ser detido, o suspeito foi encaminhado ao Centro de Apreensão de Menores em Curitiba. A principal linha de investigação é de que o caso se trata de um latrocínio.

Bombeiro trabalhou por 32 anos em Joinville

Em nota, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville confirmou a morte de Clésio Maximiano Torres.

Segundo a corporação, Pira, como era conhecido entre os colegas, atuou na cidade durante 32 anos, até se aposentar em junho de 2017.

O velório de Clésio ocorrerá na Capela 1 da Funerária São Jorge. Já o sepultamento no Cemitério Cristo Rei, ainda sem horário definido.

Corporação emitiu nota de pesar a respeito da morte de Clésio – Foto: Facebook/Bombeiros Voluntários de Joinville

+

Bombeiros