10 dicas para evitar mortes por afogamento em banho de rio

Para evitar tragédias, como a que aconteceu para uma família de Joinville no domingo de Páscoa, ND+ buscou dicas que salvam vidas

Para evitar mortes por afogamentos durante um banho de rio, como ocorreu neste domingo de Páscoa para uma família de Joinville, ND+ foi em busca de dicas junto ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville. Confira abaixo alguns dos principais cuidados para evitar esse tipo de tragédia:

bombeiros com equipamentos de resgatebombeiros, salvamento, resgate, rio – Foto: Ricardo Alves/Divulgação ND

Cuidados a serem observados nos banhos de rio:

  • Escolher um lugar seguro: procure informações sobre a profundidade do rio e do local. Observe a correnteza e verifique a existência de obstáculos como troncos, pedras ou galhos;
  • Verifique as condições climáticas e eventos naturais, como enxurradas;
  • Evite mergulhar, o risco de acidente é maior;
  • Se comer, evite entrar na água;
  • As crianças devem estar sempre com adultos;
  • Evite ficar em áreas com grande profundidade;
  • Procure ficar próximo das margens e perto de pessoas;
  • Procure materiais flutuantes como boias, bolas, câmara de pneu para arremessar a uma pessoa que esteja se afogando;
  • Use um bambu, vara ou toalha para tentar ajudar a pessoa a sair da água;
    Nunca use as mãos ou tente salvá-la se não tiver experiência. A pessoa em perigo está desorientada, pode agarrar quem tenta socorrê-lo e causar risco de afogamento a ambos;
  • Muita atenção: após dias de chuva, rios apresentam forte correnteza e presença de vegetação e pedaços de madeira arrancados das margens.

Como aconteceu a tragédia para a família Estevão

Nardela Estevão, de 52 anos, morreu afogado no rio Piraí, na Estrada Blumenau, no local conhecido como ponte coberta. O rio é bastante procurado por banhistas e no domingo (4) estava com forte correnteza.

Segundo informações de testemunhas, Nardela Estevão estava acompanhado de familiares aproveitando o domingo de Páscoa. Ainda de acordo com familiares, após almoçar, ele entrou no rio e desapareceu.

afogamento em JoinvilleEquipe avançada do Samu e bombeiros voluntários de Joinville tentando reanimar o banhista – Foto: Ricardo Alves/NDTV Joinville

A esposa, então, percebeu que o marido não estava mais na região onde havia entrado e gritou por socorro. Dorgivan Santini da Silva, outro banhista que estava no local, atendeu ao chamado da esposa e entrou no rio para tentar encontrar Nardela.

Dorgivan conseguiu localizar Nardele a cerca de 500 metros de onde ele havia entrado na água. Com ajuda de um amigo, Dorgivan trouxe Nardela para as margens do rio e tentou reanimá-lo até a chegada dos bombeiros e do Samu.

Quando os socorristas chegaram continuaram os procedimentos para tentar reanimar Nardela. Foram 20 minutos até o médico constatar o óbito às 13h39.

Os familiares ficaram muito abalados e a esposa passou mal, precisando de atendimento médico.

Para chegar ao local, de difícil acesso por conta da correnteza e da distância, os bombeiros tiveram de atravessar no meio do rio com os equipamentos de resgate.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Bombeiros