Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Carlos Moisés se diz surpreso e manda cancelar compra de espada por R$ 14,9 mil

Governador, que é coronel da reserva na instituição, diz que gasto não condiz com tempos de austeridade e que ele próprio comprou uma réplica, em 1987, paga em 24 vezes

A informação publicada na coluna de que o Corpo de Bombeiros comprou a réplica da espada do comandante-geral, no valor de R$ 14,9 mil, causou “surpresa” ao governador Carlos Moisés (PSL), que determinou o cancelamento da aquisição.

Carlos Moisés na passagem de comando para Edupércio Pratts, com a espada – Julio Cavalheiro/Divulgação/NDCarlos Moisés na passagem de comando para Edupércio Pratts, com a espada – Julio Cavalheiro/Divulgação/ND

Por meio de nota, Moisés reconheceu que “a espada é um símbolo do comando das tropas e que o presente sempre foi uma tradição nas corporações militares”. No entanto, “a lembrança paga com recursos públicos não condiz com o atual momento de austeridade do governo do Estado”.

No mesmo comunicado, foi citado que o próprio Moisés comprou uma réplica da espada, no ano de 1987, quando ainda era aluno oficial, e pagou em 24 prestações.

No início da madrugada deste sábado (23), a coluna já havia publicado a versão do coronel Edupércio Pratts, atual comandante do Corpo de Bombeiros. O chefe já havia informado a decisão de cancelar a compra do item, reforçando que a instituição já possui duas espadas, em necessidade de uma nova unidade.

A posição de Carlos Moisés, ainda que em decisão posterior, está sintonizada com a cobrança da sociedade em relação ao controle dos gastos públicos.

Loading...