Casan pretende indenizar moradores da Lagoa da Conceição, em Florianópolis

Na segunda-feira (25), moradores da Servidão Manoel Luiz Duarte perderam bens materiais e temeram pela vida, após o rompimento de uma lagoa artificial da Casan

Os moradores da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, que tiveram as casas alagadas e carros submersos na última segunda-feira (25) serão indenizados pela Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento). Os mais prejudicados viviam na Servidão Manoel Luiz Duarte, que teve casas e carros cobertos pela água.

Casan promete indenizar moradores da Lagoa da ConceiçãoMoradores da Servidão Manoel Luiz Duarte, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, ainda contabilizam prejuízos após rompimento em lagoa artificial da Casan – Foto: Ana Vaz/NDTV

A Casan é responsável pelo lago artificial que não resistiu às chuvas e rompeu na segunda-feira (25), contribuindo para o alagamento e danos aos moradores da Lagoa.

As chuvas castigam Florianópolis e outras cidades de SC, desde o último domingo (17). No domingo (24), mãe e filha morreram soterradas no Saco Grande, também na Capital, depois que o muro do vizinho deslizou sobre a casa delas.

Casan cadastra moradores e contabiliza prejuízos

Nesta terça-feira (26), ainda foi possível encontrar os rastros e marcas deixadas pela enxurrada. Logo na parte da manhã, os moradores voltaram às suas casas para recolher pertences e contabilizar os estragos.

Representantes da Casan também foram ao local para avaliar os danos e conversar com as pessoas. A empresária Mariana Furlan, que perdeu os móveis de casa e o carro na enxurrada, confirmou a visita dos representantes da Casan nesta terça-feira.

A empresária Mariana Furlan também perdeu tudo na enxurrada que atingiu moradores da Lagoa da Conceição, na última segunda-feira (25) – Foto: Reprodução/NDA empresária Mariana Furlan também perdeu tudo na enxurrada que atingiu moradores da Lagoa da Conceição, na última segunda-feira (25) – Foto: Reprodução/ND

Ela estava almoçando, no meio da tarde, na casa de um casal voluntário que cedeu a refeição. Mariana disse que as doações: materiais de limpeza, luvas, vassouras e rodos estão vindo de um grupo criado pelos próprios moradores.

“Nada de ajuda da Casan e da Prefeitura. É tudo de voluntários mesmo. Até agora, a gente recebeu uma visita do pessoal da Casan, fazendo levantamento de tudo que perdemos e foi só isso. Estão fazendo um levantamento item por item e fotos”, disse Mariana.

Moradores ainda calculam os prejuízos

A Casan informou, por meio de nota, sobre a intenção de indenizar os moradores atingidos na enxurrada. A assessoria confirmou que as equipes estão em campo, mas não há mais detalhes, por enquanto, sobre o início das indenizações, nem um cálculo fechado dos prejuízos.

“Ontem a Defesa Civil chegou a pedir número de roupa, sapato, mas até agora não recebi nada. Eu não tinha nem roupa pra usar, eu e minhas vizinhas tudo na mesma situação, só com a roupa do corpo”, disse Mariana.

Outro que perdeu tudo na tragédia foi o pescador e instrutor de surf Roberto Carlos Vicente. Nesta terça pela manhã, Roberto voltou para casa, a fim de contabilizar os estragos.

Roberto Carlos Vicente é outro morador que teve a casa alagada e prejuízos na Lagoa da Conceição – Foto: Ana Vaz/NDTVRoberto Carlos Vicente é outro morador que teve a casa alagada e prejuízos na Lagoa da Conceição – Foto: Ana Vaz/NDTV

Em entrevista à repórter da NDTV Ana Vaz, ele disse que sentiu a água quando acordou e colocou o pé fora da cama. Quando abriu a porta, a enxurrada invadiu sua casa. Roberto pulou a janela do quarto para escapar e conseguiu sair pelas dunas.

“Não tem o que falar, a casa que a gente tanto lutou, tanto suou. São 35 anos morando aqui, organizando, cuidando de cada cantinho, sabendo que cada cantinho foi tu que fez e de repente…”, emocionado, Roberto não conseguiu completar a fala.

Também na manhã desta terça, o auxiliar de serviços gerais, Edson Moraes, retornou à sua casa para ver o que sobrou. “Consegui pegar agora os documentos. Estou com roupa doada, calção doado, sem nada. Acabou tudo!”, disse Edson, em entrevista à NDTV.

Principal avenida do bairro também alagada

Embora as casas da Servidão Manoel Luiz Duarte tenham sofrido mais, a Avenida das Rendeiras, principal via da Lagoa da Conceição, também ficou alagada e interditada na segunda-feira.

A Defesa Civil contabilizou 35 casas danificadas e 66 pessoas atingidas diretamente na Lagoa da Conceição. A presidente da Associação de Moradores da Lagoa, Eliane Butin, no entanto, disse que o número é maior.

Na manhã desta segunda-feira (25), os bombeiros estavam trabalhando na Lagoa da Conceição – Foto: Felipe Carneiro/Especial para o NDNa manhã desta segunda-feira (25), os bombeiros estavam trabalhando na Lagoa da Conceição – Foto: Felipe Carneiro/Especial para o ND

Segundo ela, a situação está complexa e as entidades da bacia da Lagoa estão realizando um mutirão de ações, doações, levantamentos financeiros e reuniões para iniciar tratativas com os órgãos públicos, tanto a Casan, quanto a Prefeitura.

“Segundo um levantamento da associação Mar do Retiro, que tem voluntários próximos ali, a grande dificuldade é contatar todas as casas. Inicialmente, foram identificadas 50 famílias [prejudicadas], mas está difícil até cadastrar as famílias, porque muitas saíram, foram para casa de familiares, para depois voltar e tentar recuperar o que é possível”, disse Eliane Butin.

Reconstrução da reconstrução

A empresária Mariana Furlan temeu pela própria vida, logo que acordou, às seis da manhã, na segunda-feira. Ela voltou a ter um negócio próprio, há cerca de um mês, tentando reconstruir a própria vida.

Mariana era dona de uma pousada, antes da crise do coronavírus, mas fechou o negócio na pandemia. A empresária tinha acabado de arrendar uma nova pousada para recomeçar.

“Eu perdi tudo. Meu carro foi arrastado pela água, pegou a rua principal e foi embora, foi parar em cinco casas depois. Perdi tudo, todos os meus bens materiais, mas a minha vida, não. Consegui me salvar e salvar meus cachorros”, disse Mariana.

Ela disse que temeu pela própria vida e achou que morreria com os cachorros. Quando acordou, a água tinha tomado toda a parte de baixo da sua casa, os bens estavam flutuando e a parte elétrica estava em curto. Segundo ela, também havia cheiro de gás.

“Foi devastador, desolador, assustador, achei que ia morrer, que seria igual Brumadinho, mesmo”, conta.

Mariana foi resgatada pelos bombeiros, junto dos seus dois cachorros, um Golden de dez anos e um vira-lata de três. Ela resgatou os dois, há cerca de um ano e disse que os animais eram vítimas de maus-tratos.

“Agora estamos ali, retirando toda a lama. Não sobrou quase nada, só uma cama no andar de cima, o resto foi tudo”, conta.

Doações

Segundo a presidente da Associação de Moradores da Lagoa, muitas doações estão chegando às vítimas da enxurrada, em especial roupas e colchões. Ela disse, também, que a principal necessidade, neste momento, são produtos de limpeza, de proteção e água.

“Isso é o que estamos dando foco maior, para poder iniciar a volta, o retorno dessas famílias às casas. Mas o primeiro passo é a limpeza”, ressaltou Eliane Butin.

Assim ficaram os veículos na Servidão Manoel Luiz Duarte, na Lagoa da Conceição – Foto: Divulgação/CBMSC/NDAssim ficaram os veículos na Servidão Manoel Luiz Duarte, na Lagoa da Conceição – Foto: Divulgação/CBMSC/ND

Ela também disse que fez contato com a Secretaria Municipal de Saúde, para receber orientações de prevenção a doenças que podem ser contraídas em ambientes de alagamento. E também requereu uma vacinação especial para as pessoas que estão na região. A reportagem procurou a Secretaria Municipal de Saúde que informou:

“A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Vigilância Epidemiológica, informa que não há indicação para vacinação nesta situação. Os cuidados para evitar doenças estão no alerta epidemiológico emitido pelo órgão na segunda-feira.

O que diz a Casan

Em nota, a Casan informou que o atendimento dos moradores, com auxílio na limpeza por funcionários da Casan, entrega de copos de água e kit limpeza, assim como orientações para cadastro, levantamento e ressarcimento de danos está prosseguindo hoje durante todo o dia.

A estatal também disse que objetiva concluir o trabalho o mais breve possível. Ainda não há dados fechados sobre o número de famílias que deverão ser ressarcidas ou sobre valores.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Bombeiros