Nova casa de família de Lages que perdeu 3 filhos em incêndio será entregue neste mês

Pais e cinco irmãos moram com parentes enquanto aguardam reconstrução da nova casa

Os pais e cinco irmãos das três crianças vítimas do incêndio que atingiu duas casas neste sábado (1º) em Lages, na Serra catarinense, convivem com o trauma. Enquanto esperam a reconstrução, vivem na residência de familiares que moram em frente ao terreno onde ocorreu o caso.

A Prefeitura de Lages irá arcar com a reconstrução das casas, ambas da mesma família. Elas contarão com as mesmas medidas das anteriores e devem ficar pronta ainda neste mês.

Família de Lages que perdeu 3 crianças em incêndio vive em frente a casa destruídaA casa principal contava com cerca de 60 m² – Foto: CBM/Divulgação/ND

Nesta segunda-feira (3) o terreno continuava com os destroços do incêndio. A casa principal contava com cerca de 60 m² e foi onde os dois meninos, de 3 e 8 anos, e uma menina de 5 anos, morreram carbonizados. Na segunda casa, de 30m², moravam outros três parentes, que não ficaram feridos.

A limpeza e reconstrução será realizada após a conclusão das perícias do Corpo de Bombeiros, informa o secretário de Assistência Social e Habitação, Jean Pierre Ezequiel. Os procedimentos estão previstos para serem finalizados nesta terça-feira (4).

Após a liberação começarão os trabalhos de limpeza. Eles devem ser realizados durante toda esta semana. Na semana seguinte, a Prefeitura começa a construir o novo lar. A obra deve ser concluída no prazo de 15 dias, estima o Secretário.

Sem despedidas

Os pais estão muito abalados, principalmente com a demora na liberação dos corpos, conta Ezequiel. O corpo das vítimas depende de identificação pelo IML (Instituto Médico Legal), procedimento que atrasa quando as vítimas morrem carbonizadas. Sem a liberação, não há como realizar velório e as cerimônias de despedida.

A pasta mobilizou uma equipe com cerca de dez profissionais, entre psicólogos e técnicos, para apoiar os pais e os cinco irmãos – três meninas e dois meninos, com idades entre 2 e 16 anos. A Prefeitura colocou os abrigos a disposição, mas a família optou por permanecer junto aos parentes.

A Assistência Social doou colchões, alimentos, kits de higienes e roupas. Os pais estão desempregados no momento e contam com cadastro social. Neste domingo e segunda-feira (3), as equipes apuravam as necessidades da família, realizando os encaminhamentos necessários.

Investigação

O Corpo de Bombeiros apura as circunstâncias do incêndio. O pai das crianças contou que elas brincavam com um isqueiro e atearam fogo em um travesseiro. Elas estavam no segundo andar da casa. O laudo final deve ser concluído ainda nesta semana.

O caso também é investigado pela 3ª Delegacia de Polícia de Lages, que trabalha com a hipótese de triplo homicídio culposo – quando não há a intenção de matar. A Polícia Civil depende do laudo pericial para o andamento das investigações.

+

Bombeiros