Jogador de futsal é encontrado morto no rio Uruguai, em Itá

Corpo de Marcelo Rodrigues, de 26 anos, foi encontrado, nesta segunda-feira (15), boiando em um lago na Usina Hidrelétrica de Itá

O homem encontrado morto, nesta segunda-feira (15), no rio Uruguai, foi identificado como o jogador de futsal Marcelo Rodrigues, de 26 anos. O corpo estava boiando em um lago na Usina Hidrelétrica de Itá, próximo a Seara, em Santa Catarina.

Marcelo Rodrigues, de 26 anos, foi visto pela última vez em uma festa de CarnavalMarcelo Rodrigues, de 26 anos, foi visto pela última vez em uma festa de Carnaval – Foto: Reprodução/ND

A última vez que o jovem foi visto foi na noite anterior à morte dele, em 14 de fevereiro, em uma festa.

Amigos de Marcelo e familiares notaram o desaparecimento do garoto e fizeram um boletim de ocorrência em uma delegacia local. No entanto, horas depois o corpo do jovem foi encontrado boiando no lago por um pescador da região.

De acordo com o delegado Marcos Giovanni Silva, responsável pelo caso, há diversas hipóteses a respeito da morte de Marcelo. No entanto, a mais provável é que tenha sido motivada por um afogamento acidental.

“Quando o corpo do Marcelo foi encontrado, além das marcas próprias de um corpo encontrado dentro da água, como mordidas de peixes e inchaço, não havia visualmente nenhum outro sinal que apontasse para uma morte violenta como, por exemplo, disparo de arma de fogo ou ferimento com arma branca. Se foi morte afogamento acidental ou já estava morto quando ele caiu na água, somente o laudo vai poder esclarecer”, declarou o delegado ao Uol.

Vale ressaltar que a perícia não descarta outras possibilidades, por isso está ouvindo testemunhas e pessoas próximas à vítima.

“Nada está claro, existe o falatório de pessoas que não têm conhecimento dos fatos e que não estavam presentes no local, que acabam criando teorias conspiratórias. Temos que ter cuidado nisso para não entrarmos numa situação, quando na verdade não temos elementos que possam dizer claramente o que aconteceu. E é para isso que existe o inquérito policial”, explicou Silva.

Já a família de Marcelo tem dúvidas em relação ao caminho que está sendo levada a investigação. Para a irmã da vítima, Marcieli Rodrigues, o jovem teria sido assassinado no evento. “O Marcelo não tinha intriga com ninguém, mas com todos os fatos que juntamos (por conta própria) até agora, acreditamos que ele foi assassinado e queremos justiça”, disse Marcieli.

O caso segue sendo investigado.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Bombeiros