Mulher atinge enxame de abelhas sem querer e morre após levar mais de 100 picadas

O ataque de abelhas aconteceu na última quinta-feira (27); a mulher faleceu neste domingo (30)

Denize Savalagio Kniess, de 29 anos, morreu após sofrer um ataque de abelhas em Presidente Getúlio, no Alto Vale do Itajaí. O acidente aconteceu na última quinta-feira (27), mas a agricultora faleceu neste domingo (30) em Ibirama. Segundo familiares, o encontro de Denize com as abelhas foi acidental.

Agricultora morreu após receber cerca de 100 picadas de abelhas em Presidente Getúlio – Foto: Divulgação/NDTVAgricultora morreu após receber cerca de 100 picadas de abelhas em Presidente Getúlio – Foto: Divulgação/NDTV

Segundo familiares, a agricultora Denize estava roçando o pasto da sua residência, localizada no bairro São José, quando atingiu acidentalmente um enxame de abelhas que estava no chão. Quando o ataque começou, a jovem saiu correndo pedindo por ajuda. Ela recebeu cerca de 100 picadas.

A mãe de Denize viu a filha e levou água para tirar as abelhas. Os familiares encaminharam a jovem às pressas para o Hospital e Maternidade Maria Auxiliadora, em Presidente Getúlio, onde ficou internada.

Na sexta-feira (28) foi transferida para o Hospital Doutor Waldomiro Colautti, de Ibirama. Lá, ela foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, mas infelizmente não resistiu e morreu na manhã deste domingo (30).

Denize era casada e deixa uma filha de apenas cinco meses. A agricultora foi sepultada na manhã desta segunda-feira (31), em Presidente Getúlio.

Ataques frequentes

Ainda em janeiro, dois graves ataques de abelhas deixaram 15 pessoas feridas em Porto União, no Norte catarinense, e em Blumenau, no Vale do Itajaí.

Imagens gravadas em Blumenau mostram pessoas se debatendo em função das ferroadas.

O que fazer diante de um ataque?

Segundo o tenente Pamplona, do Corpo de Bombeiros de Blumenau, por mais que um ataque seja desesperador, existem alguns cuidados que podem ser tomados para evitar maiores problemas. Confira abaixo.

  • Proteja cabeça e pescoço: você pode usar um um casaco, por exemplo, para cobrir as áreas do corpo;
  • Tente não se debater: por mais que seja difícil, tente não se movimentar muito. Quando mais você se agitar, mais abelhas vai atrair;
  • Não mate abelhas: quando a gente mata uma abelha, ela libera um cheiro que as outras abelhas reconhecem. Nestes casos, elas aumentam o ataque;
  • Se tiver fonte de água ou fumaça, utilize! Uma corrente de água bloqueia a chegada dos insetos, e a fumaça faz com que elas se tranquilizem;
  • Peça ajuda: em casos de ataques você pode ligar para o Corpo de Bombeiros (193) ou Samu (192). Além disso, você pode pedir auxílio para algum apicultor.

Precisa remover uma colmeia?

Eliminar cachopas de abelhas configura crime ambiental. Portanto, segundo o tenente Pamplona, nestes casos o ideal é pedir o auxílio de um apicultor para fazer a extração segura.

A atitude elimina a possibilidade de ocorrer um acidente grave e protege os animais. “A gente deveria conviver em paz com colmeias. Entender que as abelhas estão lá para proteger a rainha. E se você tentar retirar a cachopa, elas vão atacar”, reforça Pamplona.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Bombeiros

Loading...