SC registra 27 mortes por afogamento em apenas 23 dias da temporada de verão; veja o perfil

Dez óbitos ocorreram em áreas privadas e 17 em pública, por exemplo, praias, cachoeiras ou rios; bombeiros realizaram mais de 1,1 mil salvamentos ao longo do período

Santa Catarina registrou 27 mortes por afogamento nos primeiros 23 dias da temporada de verão de 2021/22. Deste total, 10 ocorreram em áreas privadas.

Apenas uma morte ocorreu em área coberta pelos guarda-vidas – Foto: Leo Munhoz/NDApenas uma morte ocorreu em área coberta pelos guarda-vidas – Foto: Leo Munhoz/ND

O boletim do CBMSC (Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina), com dados registrados entre os dias 18 de dezembro e até o último domingo (9), 12 afogamentos seguido de morte aconteceram em água doce e cinco em água salgada.

Confira os afogamentos seguido por morte em área pública

Assim como apresenta o gráfico, as 12 mortes em água doce ocorreram em área sem a presença de salva-vidas. Já em água salgada, apenas uma foi em área coberta e outras quatro em descoberta.

Entre as 17 vítimas, 16 foram homens e apenas uma mulher. Além disso, a média de idade foi de 27 anos.

Outros 10 afogamentos seguidos de morte ocorreram em áreas privadas e uma ainda está sob investigação. No total, 27 pessoas morreram afogadas em Santa Catarina.

O boletim destaca ainda que 712 crianças foram perdidas e a equipe dos bombeiros realizou 1.160 salvamento e resgate, ou seja, uma média de 50 atendimentos diários ao longo dos 23 dias da Operação Veraneio 21/22. Outro ponto de foco é que houve o registro de 2.078 lesões por água-viva.

Ainda conforme o Corpo de Bombeiros Militar, 442 pontos de guarda-vidas estão espalhados em 169 balneários ou estâncias em 36 municípios catarinenses.

Além disso, são 2.130 guarda-vidas civis voluntários e também 80 militares.

+

Bombeiros

Loading...