Homem matou filho e mãe em Chapecó por “sentimentos negativos”, conclui polícia

Fernando Prazido usou um halter (peso de musculação) para matar o filho de 2 anos e a mãe, de 63 anos; crime ocorreu em janeiro

A DIC (Divisão de Investigação Criminal) concluiu nesta semana a investigação sobre a morte de três pessoas da mesma família em janeiro deste ano, no bairro Efapi, em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina.

Policiais chegaram na residência e encontraram o homem e o filho morto – Foto: Willian Almeida/ND

De acordo com a Polícia Civil, que investigou o caso por cerca de cinco meses, Fernando Prazido, de 31 anos, matou o filho Matheus Antônio Prazido, de 2 anos, com golpes de um halter (peso de musculação). Depois, ele se suicidou com uma faca.

O crime ocorreu na casa da família na rua Elói Ferreira de Souza, no Loteamento Alice II, área Oeste do município.

A investigação revelou que Fernando agrediu a própria mãe Doralina Prazido, de 63 anos, com o mesmo instrumento. A idosa foi socorrida em estado grave e morreu depois de alguns dias no hospital.

Leia também:

O delegado Vagner Papini, que investigou o caso, disse que Fernando “imbuído de sentimentos negativos causados por problemas pessoais” decidiu matar a família. A esposa dele estava no trabalho no momento do ocorrido.

Policiais chegaram na residência e encontraram o homem e o filho morto – Foto: Willian Almeida/ND

“Testemunhas ouvidas confirmaram que Fernando se queixou de problemas pessoais que enfrentava. Também, neste caso, se descarta qualquer participação de uma terceira pessoa”, destacou o delegado.

As mortes 

Na tarde do crime, Fernando enviou de casa uma mensagem de áudio em um grupo da família no WhatsApp, afirmando que teria cometido um grande erro, de acordo com o inquérito.

Assustado, alguns familiares tentaram realizar diversas chamadas, mas Fernando não atendeu, por isso foram até a casa da família. Do quintal, avistaram por uma janela Doralina deitada na cama e com sinais de agressão.

A Polícia Militar foi acionada e quando entrou na casa encontrou os corpos. O local foi periciado pelo IGP (Instituto Geral de Perícias). Pai e filho foram levados separados.

ND+ acompanhou o caso. Relembre:

+

Segurança