Começam a ser presos os envolvidos no assassinato de casal de idosos em Biguaçu

Eduarda Borba, 18 anos, teria recebido R$ 1 mil para levar os criminosos a casa da vítima. Um adolescente de 17 anos também está detido

Débora Klempous/ND

Adolescente suspeito de envolvimento no crime também foi preso pela polícia

A Polícia Civil de Biguaçu começou a prender os envolvidos nos assassinatos de Eurico Eger, 76, e Hilda Bruch, 77. O casal foi morto com apenas um tiro de escopeta calibre 12, quando estava deitado na cama. A bala atravessou as costas de Eurico e pegou no pescoço da mulher. Ferida, Hilda caminhou até a casa de uma vizinha, onde pediu scoorro. Ela foi levada para o Hospital Regional de São José, mas não resistiu os ferimentos. O duplo assassinato ocorreu na madrugada de 11 de abril, na rua Osvaldino Gustavo Vieira, no Morro Bela Vista, em Biguaçu.

Com base nas investigações e nos depoimentos de testemunhas da região, agentes da delegacia de Biguaçu detiveram Eduarda Borba, 18 anos, e um adolescente de 17 anos. Eduarda conseguiu uma bolsa onde os suspeitos levaram a escopeta e também recebeu R$ 1 mil para mostrar o local onde o aposentado morava. Ela está com a prisão provisória, de cinco dias, decretada pela Justiça. Para a polícia, o crime foi praticado por três homens: um adolescente e dois adultos.

Enquanto Eduarda prestava depoimento para o delegado Nilton César da Silva, o policial da equipe de investigações Jean trazia um adolescente de 17 anos para prestar esclarecimentos sobre o brutal assassinato. O garoto, envolvido em outro homicídio no ano passado, e  Eduarda, negaram a participação no crime. 

No entanto, conhecidas de Eduarda comentaram que quando a matéria do homicídio foi ao ar pela Ric Record, no “Jornal do Meio Dia”, a suspeita fez o seguinte comentário: “Eu é que peguei esta bolsa”. “Ela também teria dito que ganhou R$ 1 mil para mostrar a casa para os matadores”, revelou um policial.

Os suspeitos invadiram a casa, segundo os policiais, porque pensaram que o aposentado guardava dinheiro. Quando aos agentes chegaram na cena do crime, encontraram o aposentado sentado ao lado da cama, com uma espingarda calibre 36 no colo. Ele tinha o hábito de dormir com a arma embaixo da cama.

A polícia suspeita que a cena tenha sido montada pelos suspeitos, que não roubaram nada. O casal não tinha dinheiro guardado em casa. Os únicos objetos de valores eram eletrodomésticos e o Chevrolet placas MGC-7227 (Biguaçu) na garagem.

Acesse e receba notícias de Biguaçu e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Segurança