Descubra se você foi vítima do maior vazamento de dados do Brasil

No último dia 18 de janeiro, dados pessoais de 223,7 milhões de brasileiros foram vazados em um fórum na internet, acessível por meio de busca no Google

Após o vazamento de dados pessoais de 223,7 milhões de brasileiros, em 18 de janeiro, uma plataforma foi criada para mostrar quem teve as informações expostas na internet.

Dados de 223,7 milhões de brasileiros foram vazadosDados de 223,7 milhões de brasileiros foram vazados – Foto: Pixabay/Reprodução/ND

Confira aqui: FuiVazado!

A página FuiVazado!, do desenvolvedor Allan Fernando, pede que o usuário indique o número do CPF (ou CNPJ) e a data de nascimento, sem exigir que nenhum login seja feito.

Ao disponibilizar essas informações, o usuário consegue ver se CPF, nome completo, data de nascimento, gênero e outros 37 itens foram vazados.

O número de dados vazados na ocasião é maior do que o da população brasileira — que tem 212 milhões de habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) — porque informações sobre indivíduos que faleceram também foram divulgadas no fórum.

Segurança

Em entrevista ao portal TechMundo, o criador da plataforma disse que, para mostrar o resultado aos internautas interessados, comparou os elementos encontrados nos bancos de dados vazados com informações cadastradas pelos usuários no site.

Dados de 223,7 milhões de brasileiros foram vazadosNome, número no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), fotos, endereços, salários, telefones e históricos de crédito foram algumas das informações expostas – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Arquivo/ND

O desenvolvedor anunciou que a página tem a “exclusiva finalidade de servir de consulta para que todos os afetados pelo vazamento saibam se seus dados foram vazados e quais foram”, e que a plataforma armazena apenas nome completo, data de nascimento, CPF e gênero.

No entanto, o portal TechMundo afirma que o código-fonte da página não é aberto. Isso impede que o funcionamento real da plataforma seja conferido por terceiros. Além disso, segundo o portal, apenas o CPF seria suficiente para verificar se a pessoa foi afetada pelo vazamento, mas o site também exige a data de nascimento.

+

Segurança