Explosão em Beirute pode ter sido causada por 2.750 toneladas de nitrato de amônio

O presidente do Líbano classificou como 'inadimissível' o produto químico altamente perigoso e explosivo não possuir medidas de segurança

A explosão devastadora que ocorreu em um armazén no porto de Beirute, deixando mais de 70 mortos e milhares de feridos, pode ter sido ocasionada por 2.750 toneladas nitrato de amônio. O produto químico é comumente utilizado na fabricação de fertilizantes e inseticidas, mas já foi usado em atentados, como o de Oklahoma.

Explosões em Beirute – Foto: Reprodução/ND

Para se ter uma ideia, em 1995, 168 pessoas morreram e outras 680 ficaram feridas em um ato terrorista, em Oklahoma City. Na ocasião, foram duas toneladas de nitrato de amônio, ou seja, mil vezes menos do que explodiu nesta terça-feira, na capital do Líbano.

O presidente do país, Michel Aoun, classificou de “inaceitável” que 2.750 toneladas de nitrato de amônio estivesse no porto há 6 anos, a caminho da África, sem as medidas de segurança necessárias, já que o material é altamente explosivo. Ele afirmou que os responsáveis pelo material vão enfrentar punições severas.

Mortos e feridos

A onda de impacto da megaexplosão foi tão forte que a sensação foi de um terremoto de 4.5 na escala richter. Além dos mortos e feridos pelo fogo, milhares de pessoas ficaram feridas por estilhaços de objetos e vidros.

Até o momento, 78 pessoas morreram e mais de três mil pessoas se feriram no acidente. Mais de trinta equipes de bombeiros, forças de resgate, integrantes do exército tiveram que ajudar no atendimento às vítimas, já que algumas ficaram sob escombros.

Foi necessário ainda aumentar o policiamento nas ruas porque as pessoas estavam em pânico, porque acreditavam que a explosão era fruto de um ataque terrorista. Segundo as autoridades locais, os danos foram sentidos em pelo menos metade da cidade.

Os hospitais de Beirute estão lotados de vítimas e familiares em busca de atendimento e o cenário é semelhante a destruição causada por uma guerra. Nas redes sociais, uma campanha está convocando as pessoas para irem doar sangue, já que os hospitais não possuem estoque suficiente para atender a todos que precisam.

Crise econômica

O país atravessa uma das piores crises econômicas e a megaexplosão poderá tornar a vida ainda mais difícil na capital do Líbano. Ainda não é possível saber, mas o impacto econômico será relevante, já que muitos comércios foram afetados, o que pode aumentar o número de desempegados.

Explosão deixou milhares de feridos – Foto: Twitter/Reprodução/ND

Além disso, a área portuária também sofreu inúmeros danos, o que poderia impedir a carga e descarga de produtos por um tempo. Somado a este novo cenário, os libaneses estão sofrendo com a hiperinflação, desvalorização da moeda local e uma massa de desempregados.

Beirute também vem sendo atingida por apagões e racionamento de energia elétrica.

Pandemia

A megaexplosão desta terça-feira pode impactar também no combate a disseminação do novo coronavírus no país, já que hospitais que estavam cuidando de pacientes com Covid-19 tiveram que abrir suas portas para atender os milhares de feridos.

+

Segurança