Família de torcedor avaiano morto por torcida organizada pede justiça

Caso ocorreu há cinco meses, quando João foi atingido por pedaços de lajota, mas ainda ninguém foi punido

A passos lentos
A família do torcedor avaiano morto por  torcida organizada no retorno de um jogo no Paraná, cobra uma posição da Justiça e pede punição para os culpados. A quase cinco meses da morte de João Grah, atingindo por um pedaço de lajota que atravessou o para brisa do micro-ônibus, o inquérito policial ainda nem foi concluído. Sinceramente, não entendo por que tanta demora. De acordo com informações da polícia, um grupo de torcedores arremessaram de uma passarela sobre o km 136 da BR-101,  entre Balneário Camboriú e Itapema, pedaços de lajota no micro-ônibus que passava ali embaixo. João estava sentado na poltrona da frente, ao lado do motorista. Imagens do sistema de videomonitoramento da concessionária Autopista Litoral Sul mostram um torcedor com a camisa do Marcílio Dias no meio do grupo. Os pais de João dizem que a vida perdeu o sentido. A mãe, Jussara Duarte, é a mais inconformada: “Ele era tudo para nós, era um menino alegre. A perda nos deixou muito tristes. Lutamos 24 horas por dia para ficar de pé. Vamos até o fim, a gente sabe que ele não iria gostar de deixar passar este caso impune”.

Ladrão de pneus
O vigilante Sandro reclamou na 1ª DP de Forquilhinhas, São José, que ladrões invadiram o condomínio Nossa Senhora Regina, localizado na localidade, e roubaram os quatro pneus novinho do Gol com placas de São José. Ele disse que o suspeito levou os rodados e deixou o carro em cima de quatro lajotas. Sandro ressaltou no boletim de ocorrência que o prejuízo ultrapassa R$ 2.500. O caso está sendo investigado pela DIC de São José.

Denarc
O foco da Denarc (Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico) é o tráfico doméstico, com prioridade para a Grande Florianópolis.  Pelo menos é isso o que o delegado João Fleury vem ressaltando nas coletivas. A última ação dos policiais ocorreu na localidade de Papaquara, no Norte da Ilha, onde foram apreendidos maconha, cocaína, balança para pesar droga e uma pistola. Semana passada, os policiais tiraram seis pistolas de circulação do Morro da Caixa.

Rosane Lima/ND

Casal de namorado acusado de assalto é preso em São José

Namorados 
O casal de namorados Felipe e Fabíola, suspeito de praticar roubos na região de São José, foi preso por uma guarnição da Polícia Militar quando saía de casa, em uma motocicleta Honda Biz preta furtada. Fabíola confessou que participou de apenas uma ação, mas Felipe admitiu cinco roubos. Ele disse que é técnico em instalação de fibra ótica e ganha pouco, R$ 1.600. Por isso, passou a roubar. Os assaltos eram feitos com a Biz.

Passional
Uma mulher esfaqueada depois do almoço pelo ex-marido foi pedir socorro no Fórum de Laguna. Enquanto uma viatura levava Mara Rubia para o hospital, outra guarnição foi ao encalço de Alexsandro Figueiredo. Meia hora depois,  ele era algemado no banheiro do Centro Comercial Administrativo de Laguna. O agressor foi autuado em flagrante. Segundo a polícia, já havia várias queixas de agressão contra o suspeito, além de uma medida protetiva proibindo de ele se aproximar da ex-mulher.

Dinheiro falso
Além apreender cédulas de R$ 100 falsos com dois jovens em um bar no bairro Ipiranga, em São José, policiais do 7º BPM recolheram seis sons automotivos, 143 carteiras de cigarros, nove alto-falantes, três celulares, dois televisores, vários relógios de pulso, tudo sem procedência. Os dois jovens detidos com dinheiro falso e o dono do bar foram encaminhados e autuados em flagrante na Polícia Civil. Os objetos apreendidos estão à disposição dos donos na Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, no bairro Kobrasol.

Casal
Operação conjunta da Polícia Civil e Militar em pontos de drogas em Canasvieiras, Norte da Ilha, resultou na captura de um casal, apreensão de  drogas e dinheiro.  A ação ocorreu na praça da República do Líbano, onde foram capturados Matheus e a namorada Jéssica. Com o casal, foi apreendido 12 petecas de cocaína, seis tabletes de maconha e R$ 162. Na casa, ainda havia 25 petecas de cocaína e buchas de maconha.

Loading...