Feminicídio: médica é assassinada pelo marido em Itapema

Mulher foi assassinada dentro de casa, no período de quarentena previsto por decreto para evitar contágio do coronavírus

A médica Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, 59 anos, foi morta na tarde de sexta-feira (20), no Centro de Itapema. O marido dela, Nelson Pretzel, 65, confessou a autoria, segundo a Polícia Militar. O crime ocorreu dentro de casa, durante o período de quarentena decretado pelo governo do Estado, cujo objetivo é evitar o contágio por coronavírus.

Médica foi encontrada morta no apartamento dela em Itapema – Foto: Redes sociais/Reprodução/ND

A guarnição foi chamada por vizinhos por volta das 17h30 e precisou arrombar a porta do apartamento do casal para localizar a vítima. O homem já havia deixado o imóvel, mas foi preso ao retornar para pegar a carteira.

A principal suspeita é de que ela tenha sido morta por esganadura. Entretanto, o laudo do IGP (Instituto Geral de Perícias) ainda não foi finalizado. O Sindicato dos Médicos de Santa Catarina emitiu nota lamentando a morte da pediatra.

Leia também

O homem não tinha passagens policiais, conforme levantamento da Polícia Militar. Ele contou à PM que agrediu a esposa durante uma discussão em que ela teria desferido um tapa no rosto dele.

O inquérito foi finalizado pela Polícia Civil e o homem vai responder por feminicídio. A prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva pelo Poder Judiciário.

+

Segurança