Festa de Carnaval acaba em confusão, tiros e pedradas em Joinville

Confusão ocorreu já no fim da festa pública, na Avenida Beira-rio; autoridades e foliões divergem sobre a versão dos fatos

Um momento que era para ser de festa acabou em confusão na madrugada deste domingo (23), em Joinville, no Norte de Santa Catarina. Os foliões que curtiam o Carnaval na estrutura montada pela Prefeitura na Avenida Beira-rio tiveram que deixar ao local após uma confusão envolvendo participantes e agentes de segurança.

Confusão ocorreu já no fim da festa que ocorria na Avenida Beira-rio – Foto: Ricardo Moreira/NDTV

Vitor Forcellini, de 29 anos, era uma das pessoas que acompanhava a festa no local. Segundo ele, que estava com uns amigos próximo ao palco, uma confusão teria iniciado próxima a escadaria do Centreventos Cau Hansen já por volta da 1h da madrugada.

Folião relata os momentos de susto

“Não sei se foi briga. Eu estava com alguns amigos quando vi que algumas pessoas estavam correndo em direção ao Centreventos. Eu, então, me aproximei mas não vi nenhuma briga, apenas uma três, quatro pessoas pegando garrafas plásticas e jogando em direção ao local”, relembra.

Ele, então, subiu as escadarias, por medo de ser algo mais sério. Porém, ao chegar no local, percebendo que não havia mais nenhum registro de confusão, desceu novamente para pista.

Confusão no Carnaval também resultou em estragos em viaturas da PM – Foto: Divulgação/Polícia Militar

“Enquanto eu descia as escadarias eu via que tava bem mais calmo e que as pessoas pediam para que eles parassem de jogar as coisas em direção as outras”, conta.

Vitor conta, ainda, que a situação já estava controlada quando agentes da Polícia Militar teriam iniciado disparos com bala de borracha na multidão que ainda se aglomerava no local.

“As pessoas começaram a pedir pra parar porque não tinha mais confusão. Foi nesse momento que eu tomei um tiro no braço e resolvi me esconder atrás de uma árvore”, conta.

Enquanto a confusão continuava, Vitor preocupado com os amigos, resolveu procurá-los, momento em que foi alvo de outro disparo por bala de borracha, desta vez no peito.

Tudo aconteceu em 15 minutos

“Depois disso, a gente conseguiu sair e comecei a me afastar do local com os meus amigos. Nisso começamos a ouvir vários barulhos de bala de borracha, pessoas correndo e relatando que eles estavam atirando na multidão”, relembra.

Ainda segundo Vitor, algumas pessoas também relataram que sentiram cheiro de gás lacrimogênio no momento da ação. Ele conta que, desde o momento em que iniciou a confusão até a hora em que saiu do local, tudo durou aproximadamente 15 minutos.

“Nenhum outro amigo meu ficou ferido. Além disso, outras pessoas relataram para nós que não viram confusão e que parece que foi um ato isolado”, finaliza.

PM rebate a situação

Em nota, a Polícia Militar apontou que houve “briga generalizada entre “foliões”, seguranças e guardas municipais, com arremesso de centenas de garrafa de vidro contra seguranças, guardas municipais e organizadores do evento”.

O posicionamento continua, afirmando que, “em determinado momento, o chefe de segurança pediu apoio da PM para restabelecer a ordem. Sendo assim houve a necessidade do emprego do efetivo PM que estava no evento e de diversas outras guarnições de serviço em Joinville, apenas para restaurar a ordem pública, utilizando da prioridade de emprego dos meios e o uso progressivo da força”.

A corporação prossegue, narrando a sequência de fatos: “Quando a PM chegou ao local do tumulto, também foi atacada injustamente com centenas de garrafas de vidro e pedras, sendo necessário neste momento a utilização de munição menos letal (elastômero) e granadas para controle de distúrbio civil.
Resultou em viaturas danificadas, e 16 detidos. Nenhum policial foi ferido apesar da enorme quantidade de pedras e garrafas arremessadas.
Após quarenta minutos a Ordem Pública foi restabelecida e os infratores identificados conduzidos até a Central Policial”.

Organização do evento lamenta ocorrido

Em nota, a Liga das Escolas de Samba de Joinville e a Prefeitura lamentaram os incidentes ocorridos durante o evento. De acordo com eles, o caso foi motivado por “um restrito grupo de vândalos que arremessou garrafas nos agentes de segurança, os quais responderam para manter a ordem”.

Além disso, a nota salienta que o Joinville Folia 2020 ocorria de forma pacífica até o “lamentável fato”.

Veja a nota na íntegra:

A Liga das Escolas de Samba de Joinville e a Prefeitura de Joinville, organizadoras do Joinville Folia 2020, lamentam os incidentes ocasionados durante o evento realizado na avenida Beira-rio, provocados por um restrito grupo de vândalos, que arremessou garrafas nos agentes de segurança, os quais responderam para manter a ordem.

O evento, até o lamentável fato, estava ocorrendo de forma pacífica, com grande presença de público e participação das instituições de samba, músicos, DJs e blocos carnavalescos, que abrilhantaram a festividade iniciada na tarde de sábado e encerrada na madrugada deste domingo.

+

Segurança