Iemanjá tem cabeça arrancada durante ato de intolerância religiosa em praia de Florianópolis

Essa é a quarta vez que a imagem de Iemanjá é destruída; centros e terreiros marcam movimento contra intolerância religiosa

Um possível ato de intolerância religiosa foi denunciada por centros espíritas e terreiros, na praia Armação do Pântano Sul, em Florianópolis, após a depredação de uma imagem de Iemanjá pela quarta vez.

Imagem de Iemanjá é depredada no Sul da Ilha de Santa Catarina – Foto: Internet/Reprodução/NDImagem de Iemanjá é depredada no Sul da Ilha de Santa Catarina – Foto: Internet/Reprodução/ND

A imagem foi encontrada quebrada, com a cabeça faltando e as oferendas destruídas, no dia 13 de maio de 2022. Essa é a quarta vez que a imagem de Iemanjá é depredada naquele local.

O local era conservado pela Dona Dorvalina Laureano Dutra, que cuidava da imagem e do local onde ela está. Outra pessoa ficou responsável pelo local e substituiu a imagem outras duas vezes até agora.

Um movimento contra a intolerância religiosa vai ser realizado no domingo (29), na praia da Armação do Pântano do Sul, às 14h. O encontro vai contar com a presença de mais de 12 centros espíritas e terreiros, que somando entre seus integrantes, são cerca de 200 pessoas.

Junto do ato, uma nova imagem, com 1 metro e 20 centímetros, mais de 100 quilos, e que será pintada em tons negros, está sendo produzida para substituir a que foi quebrada, feita de concreto, para dificultar qualquer outra tentativa de depredação.

“Pensando em responder mais um ato de desrespeito contra a nossa religião e contra a nossa fé, resolvemos reconstruir a imagem. Estamos unidos em uma única causa, que é o respeito entre as religiões”, diz Fernando Silveira, um dos responsáveis pelo movimento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...